Polícia russa detém operários migrantes em obras dos Jogos de Inverno

sexta-feira, 4 de outubro de 2013 13:08 BRT
 

Por Steve Gutterman

MOSCOU, 3 Out (Reuters) - Autoridades russas detiveram centenas de trabalhadores migrantes em Sochi, onde serão realizados os Jogos Olímpicos de Inverno de 2014, e mantêm muitos deles em "condições arbitrárias e desumanas", afirmou a Human Rights Watch nesta quinta-feira.

Muitos dos detidos em uma onda de averiguações em locais de trabalho, casas e lugares públicos desde o início de setembro ajudaram a construir espaços e obras de infraestrutura para os Jogos que serão realizados em fevereiro na cidade, uma estância turística no Mar Negro, disse a entidade.

De acordo com a Human Rights, em sua maioria, os detidos por supostas violações de regulamentos sobre emprego ou migração foram liberados algumas horas depois, mas alguns ficaram presos por mais de uma semana e, em alguns casos, sem ter acesso a um advogado.

Ninguém do Ministério do Interior ou do governo regional estava disponível de imediato para comentar o assunto na noite desta quinta-feira.

Citando um advogado e um vídeo feito com um celular, a entidade afirmou que de 40 a 50 homens ficaram presos em um galpão de metal improvisado em um pátio de uma delegacia policial, mas a polícia negou que eles estivessem lá.

Os trabalhadores foram detidos durante averiguações que começaram no início de setembro e prosseguiram durante as inspeções finais do Comitê Olímpico Internacional antes dos Jogos marcados para 7 a 23 de fevereiro, disse a entidade.

O presidente russo, Vladimir Putin, que apostou sua reputação no sucesso das primeiras Olimpíadas na Rússia depois da era soviética, tem dito que o país precisa de migrantes em setores como a construção, mas que aqueles que violam a lei tem de ser punidos.