Decisão sobre Copa do Catar não será tomada antes de 2014, diz Blatter

sábado, 5 de outubro de 2013 15:10 BRT
 

Por Brian Homewood

ZURIQUE, 4 Out (Reuters) - A Fifa lançou um processo de consultas para decidir se mantém a Copa do Mundo de 2022 do Catar no tradicional período, de junho a julho, e não tomará nenhuma decisão sobre o assunto até o ano que vem, disse o presidente Joseph Blatter nesta sexta-feira.

"O comitê-executivo decidiu lançar um processo de consultas entre os principais envolvidos sobre as datas de Catar 2022", disse Blatter no Twitter. "Nenhuma decisão será tomada antes da Copa do Mundo de 2014."

O Catar foi escolhido para receber a Copa do Mundo em dezembro de 2010 com uma proposta de organizar a competição em junho e julho em estádios climatizados com ar-condicionado, de forma a enfrentar o forte calor nessa época do ano no país.

Apesar das garantias dadas pelo Catar de que o plano é viável, há preocupação entre diversos setores sobre a saúde de jogadores e torcedores estrangeiros devido ao calor no deserto.

Blatter disse em julho que iria propor uma mudança no período de disputa da competição para uma época do ano de clima mais ameno, e que esperava receber a aprovação do comitê-executivo da Fifa.

No entanto, clubes e ligas europeias se preocupam com o impacto em suas competições, principalmente financeiro, caso o Mundial não seja realizado em junho/julho.

Blatter disse ainda que a Fifa não vai fechar os olhos para acusações de abusos dos direitos trabalhistas no Catar.

"Manifesto toda minha simpatia e pesar por tudo o que acontece em qualquer país onde há mortes em canteiros de obras, especialmente quando estão relacionadas com a Copa do Mundo", disse ele em entrevista coletiva.

Recentemente, o jornal inglês The Guardian publicou uma reportagem em que denunciava a utilização de trabalho escravo em construções da Copa de 2022. De acordo com o jornal, mais de 40 trabalhadores morreram no Catar entre 4 de junho e 8 de agosto, mais da metade por problemas cardíacos ou acidentes de trabalho.

Centenas de pessoas cercaram a sede da Fifa na quinta-feira, em Zurique, na Suíça, para protestar contra as condições de trabalho dos operários no Catar. Os manifestantes carregavam faixas e cartões vermelhos com mensagens contra a Fifa.