5 de Outubro de 2013 / às 15:43 / 4 anos atrás

Nadal volta ao topo do ranking após desistência de Berdych

MUMBAI, 5 Out (Reuters) - Rafael Nadal voltará a ser o número um do mundo depois que Tomas Berdych se retirou do Aberto da China com uma lesão nas costas durante a semifinal que os dois disputavam neste sábado.

Fãs do espanhol Rafael Nadal seguram um cartaz durante uma partida da semifinal contra o checo Tomas Berdych, durante o torneio de tênis Aberto da China, em Pequim. Nadal voltará a ser o número um do mundo depois que Berdych se retirou do Aberto da China com uma lesão nas costas durante a semifinal que os dois disputavam neste sábado. 5/10/2013. REUTERS/Petar Kujundzic

O sérvio Novak Djokovic, que perderá a liderança quando o novo ranking for anunciado na segunda-feira, passou fácil pelo francês Richard Gasquet em 6-4 e 6-2 na outra semi e marcou uma final de encher os olhos com seu arquirrival Nadal.

Berdych, que perdia o primeiro set por 2-4, machucou as costas enquanto corria para fazer um slice de backhand e precisou de assistência médica.

Ele voltou à quadra, mas depois de alguns pontos decidiu que não podia mais continuar, dando ao espanhol de 27 anos uma passagem fácil para a decisão de domingo.

Nadal, que elevou para 13 sua coleção de títulos de Grand Slams este ano vencendo em Roland Garros e no Aberto dos EUA, não era o primeiro do ranking desde 2011, mas mostrou um desempenho surpreendente desde que voltou de uma longa lesão no joelho em fevereiro.

“Este é um ótimo ano, um dos melhores de minha carreira, sem sombra de dúvida”, disse Nadal aos repórteres.

“Com certeza é especial voltar à primeira posição do ranking depois de mais de meio ano sem jogar tênis”, disse.

“No fim das contas, é só um número... o que me alegra é tudo que fiz para voltar para onde estou hoje.”

Ele perdeu duas finais desde seu retorno, conquistando 10 torneio e acumulando mais de 10 milhões de dólares em prêmios em 2013.

O êxito na semifinal ampliou para 21 a sequência de vitórias de Nadal, e outro triunfo no domingo lhe daria seu primeiro título no Aberto da China desde 2005.

“Será ótimo se eu for capaz de finalizar a temporada como primeiro do mundo”, acrescentou o espanhol. “Para isso, sei que preciso vencer mais partidas”.

“Não vou dormir esta noite sentindo que sou o melhor tenista do mundo. É algo em que nunca pensei, e não estou pensando nisso hoje”, garantiu.

“Joguei uma temporada muito completa, e é por isso que sou o melhor do ranking hoje”.

Por Sudipto Ganguly

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below