14 de Outubro de 2013 / às 12:07 / em 4 anos

Recorde de pontos dá a Alonso algo para comemorar

Por Alan Baldwin

SUZUKA, Japão (Reuters) - Fernando Alonso, da Ferrari, gostou mais de superar o recorde de Michael Schumacher e se tornar o maior pontuador da história da Fórmula 1 do que de manter o campeonato deste ano aberto por mais duas semanas.

O quarto lugar do espanhol no Grande Prêmio do Japão significou que Sebastian Vettel, da Red Bull, que ganhou a quinta corrida seguida, precisa esperar até a Índia, em 27 de outubro, para ser tetracampeão. Ele tem 90 pontos de vantagem a quatro etapas do fim do Mundial.

O resultado também levou o número de pontos na carreira de Alonso para 1.571 - cinco a mais que o heptacampeão Michael Schumacher acumulou.

O recorde pode ser relativizado pelos historiadores do esporte por causa da mudança no sistema de pontuação ao longo dos anos e um número elevado de corridas nas temporadas, mas Alonso não perdeu a chance de ficar feliz com alguma coisa.

"Eles me disseram que eu tenho o recorde de maior número de pontos na história da Fórmula 1, então é um dia feliz. Ser o maior pontuador da F1 é enorme", disse.

"Em seis anos, quando alguém me superar, ninguém vai se lembrar do sistema de pontuação. Eles vão apenas comemorar serem os primeiros da história."

"Então é a hora de eu comemorar, é a hora de eu aproveitar por alguns anos", disse Alonso.

A Fórmula 1 dava oito pontos por vitória no começo da sua história e apenas os cinco primeiros pontuavam. A partir de 1991, o vencedor levava 10 pontos, e em 2010 aumentou para 25, com os dez primeiros pontuando.

Schumacher venceu 91 corridas na carreira, que durou de 1991 a 2012, com uma pausa entre 2006 e 2010. O bicampeão tem 32 vitórias desde a sua estreia em 2001.

Alonso não teve muito a dizer sobre a corrida de domingo, em que mais uma vez a Ferrari teve um ritmo inferior ao das duas Red Bulls e ao da Lotus de Romain Grosjean.

Na cabeça dele, o título já era de Vettel e a batalha é para manter a Ferrari em segundo lugar e à frente de Mercedes e Lotus.

"Eu estava sempre atrás de alguém, mas os três primeiros estavam muito fortes. Mesmo que eu não pegasse tráfego, eu acho que o pódio já estava decidido (...) Mesmo que Vettel abandone as quatro corridas, preciso vencer todas elas."

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below