Classificação para a Copa oferece raro raio de esperança para a Bósnia

quarta-feira, 16 de outubro de 2013 19:47 BRT
 

Por Daria Sito-Sucic

SARAJEVO, 16 Out (Reuters) - Rojões e sinalizadores iluminaram a noite de Sarajevo na terça-feira, quando milhares de moradores saíram às ruas para comemorar madrugada adentro a classificação da Bósnia para a Copa de 2014.

A cena de festa é algo raro numa cidade que ficou marcada por um brutal cerco sofrido durante a guerra de independência do país, entre 1992 e 95, um conflito que matou 100 mil pessoas e que mantém esta ex-república iugoslava como refém de nacionalismos e interesses políticos.

A vitória de 1 x 0 sobre a Lituânia, fora de casa, permitirá que o futebol bósnio dispute seu primeiro torneio internacional desde a independência.

"Esta é uma lição para todos na Bósnia sobre o que pode ser obtido com o trabalho árduo, persistência e talento", disse a uma TV o diplomata austríaco Valentin Inzko, representante da comunidade internacional para a supervisão do Acordo de Paz de Dayton (1995).

"A vitória vai além dos limites do esporte e é uma mensagem a todas as pessoas de boa vontade no país de que um futuro melhor é possível. Os cidadãos da Bósnia-Herzegovina podem se orgulhar da sua seleção nacional de futebol", acrescentou o diplomata, que foi a Kaunas, na Lituânia, para assistir à partida histórica.

Quase duas décadas após o fim do conflito, a Bósnia continua sendo um país disfuncional, afetado por divisões étnicas, instabilidade política e dificuldades econômicas. Divergências entre líderes rivais sérvios, muçulmanos e croatas atrapalham o processo de adesão à União Europeia.

O acordo de Dayton, mediado pelos EUA, silenciou os canhões, mas criou um sistema de partilha étnica do poder que é tão complexo que muitas vezes paralisa o governo, prejudicando a recuperação e as reformas em um país no qual há 28 por cento de desempregados.

A perspectiva de disputar a Copa no Brasil deixou de lado, pelo menos em curto prazo, as preocupações com os salários atrasados e as aposentadorias minguadas, e injetou a confiança de que os políticos poderão seguir os passos dos jogadores da seleção, que formam um raro raio de luz e unidade.

"Esta vitória significa tudo para mim", disse à Reuters a médica Sanja Mandic, 51 anos, na região central de Sarajevo, onde os jogadores foram recepcionados por uma multidão de torcedores ao desembarcarem. "Eu os amo muito. Eles são a única coisa brilhante nas nossas vidas, e um lampejo de esperança nestes tempos terríveis."

 
Fãs da seleção de futebol da Bósnia celebram vitória contra a Lituânia em partida classificatória para a Copa do Mundo de 2014, em Sarajevo, 15 de outubro de 2013. Rojões e sinalizadores iluminaram a noite de Sarajevo na terça-feira, quando milhares de moradores saíram às ruas para comemorar madrugada adentro a classificação da Bósnia para a Copa de 2014. 15/10/2013 REUTERS/Dado Ruvic