Organizadores se voltam para "desafio logístico" da Copa de 2014

quarta-feira, 23 de outubro de 2013 17:20 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 23 Out (Reuters) - Convicto de que os estádios serão entregues no prazo, o diretor-executivo do Comitê Organizador Local (COL) da Copa do Mundo de 2014, Ricardo Trade, apontou nesta quarta-feira a logística das seleções como o maior desafio na preparação para a competição.

Segundo ele, o COL tem trabalhado há meses no tema em parceria com as 12 cidades-sede e agora aguarda a definição das 32 seleções classificadas e o sorteio dos grupos do Mundial para mergulhar de vez na logística dos times.

"O desafio que temos é logístico. Em 18 de janeiro já sei onde cada seleção vai ficar, jogar e quem são eles. Isso nos facilitará a organizar a logística", disse ele a jornalistas.

"É um desafio meu do COL e das cidades que vão ter que planejar para receber torcedores, seguidores e admiradores... Nunca os estádios foram um problema, mas estamos sempre atentos", completou ele, sobre o prazo de entrega dos estádios, em dezembro.

Até agora já são 21 seleções classificadas para o Mundial e até o mês que vem as 32 já serão conhecidas. Em dezembro será feito o sorteio dos grupos, na Costa do Sauípe (BA).

"Você sabendo quem vai jogar você pode viajar, conhecer o país e investir na divulgação. Mais do que isso, preparar aeroporto, transporte e deixar a casa arrumada", afirmou. "É a chance também de encontrar formas de manter o turista mais alguns dias na cidade onde vai estar sua seleção para arrecadar recursos. É uma oportunidade."

Trade disse ainda que algumas lições da Copa das Confederações foram aprendidas e que deslizes não podem ser repetidos na Copa. Ele citou os problemas enfrentados pela seleção do Uruguai, em Recife, no trajeto para o Centro de Treinamento. O treino teve de ser cancelado.

"Não queremos que isso ocorra de novo.... não podemos dar desculpa da chuva de novo. Fazemos um trabalho com a cidade para melhorar o acesso ao local, o gramado", declarou.

"Vamos tratar todo mundo a pão de ló; tudo tem que funcionar bem. Não vamos repetir esse pequeno deslize", acrescentou.   Continuação...