Clubes de futebol franceses entrarão em greve contra super imposto

quinta-feira, 24 de outubro de 2013 13:02 BRST
 

Por Simon Carraud

PARIS, 24 Out (Reuters) - Clubes de futebol da França vão realizar uma greve no final do próximo mês em protesto contra o super imposto do governo francês, disse a união de clubes profissionais do país (UCPF, na sigla em francês) nesta quinta-feira.

"Haverá um fim de semana sem jogos no final do mês (de novembro)", disse o presidente da UCPF, Jean-Pierre Louvel, em entrevista coletiva. "É a sobrevivência do futebol francês que está em jogo", acrescentou.

A greve vai afetar jogos das primeira e segunda divisões do Campeonato Francês entre 29 de novembro e 2 de dezembro.

A greve no futebol é o mais recente golpe para o presidente francês, François Hollande, cujo governo já sofre com baixos índices de popularidade, sobretudo devido à alta taxa de desemprego e disputas internas sobre a política de imigração.

Inicialmente, a taxa de 75 por cento de imposto deveria ser paga por aqueles que ganham mais de um milhão de euros por ano.

Após protestos de altos executivos e atores franceses, como Gerard Depardieu, o governo mudou a lei para que o imposto seja pago pelas empresas que oferecem esses salários.

O imposto é aplicável a rendimentos anuais acima de 1 milhão de euros, embora haja um limite de cinco por cento do volume de negócios de uma empresa.

O Paris St Germain, que é sustentado por investidores do Catar, será um dos mais atingidos pelo imposto, enquanto o Monaco, sustentado por um bilionário russo, estará isento, já que não se enquadra nas leis fiscais francesas.   Continuação...

 
Presidente da união dos clubes de futebol profissionais franceses, Jean-Pierre Louvel, durante partida entre o Le Havre e o Paris Saint Germain pela primeira divisão do campeonato francês, em Paris. Clubes de futebol da França vão realizar uma greve no final do próximo mês em protesto contra o super imposto do governo francês, disse a união de clubes profissionais do país (UCPF, na sigla em francês) nesta quinta-feira. 19/04/2009. REUTERS/Gonzalo Fuentes