Contra ameaça em Olimpíada, Rússia reforça lei antiterror

sexta-feira, 25 de outubro de 2013 19:54 BRST
 

MOSCOU, 25 Out (Reuters) - O Parlamento russo aprovou na sexta-feira uma lei que impõe penas de prisão de até seis anos para russos que participarem de conflitos no exterior, em mais uma ação do governo para tentar evitar atentados durante a Olimpíada de Inverno de Sochi, em fevereiro.

Os insurgentes islâmicos da região russa do Norte do Cáucaso simpatizam com os rebeldes sunitas que lutam na Síria contra o governo de Bashar al Assad. As autoridades estimam que até 400 pessoas tenham saído do território russo para combater na Síria, e analistas alertam que esse grupo poderá constituir uma grave ameaça quando voltar.

O presidente Vladimir Putin solicitou em setembro emendas à atual lei antiterror.

Agora, parentes de autores de atentados terroristas poderão ser responsabilizados financeiramente pelos danos causados. A nova versão da lei também estabelece penas de até 20 anos de prisão para quem criar organizações terroristas, e de dez anos para quem delas participar.

Sochi, sede da Olimpíada de Inverno de 2014, fica a poucas centenas de quilômetros do volátil Cáucaso russo, onde atentados ocorrem quase diariamente.

(Por Alexei Anishchuk e Alissa de Carbonnel)