Felipão rejeita comparação entre caso Diego Costa e convocações por Portugal

quinta-feira, 31 de outubro de 2013 14:31 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 31 Out (Reuters) - Ainda incomodado com a polêmica em torno do atacante Diego Costa, que preteriu o Brasil pela Espanha, o técnico Luiz Felipe Scolari rejeitou nesta quinta-feira comparações com a época em que dirigiu Portugal e chamou os brasileiros Deco e Pepe para defender a seleção portuguesa.

Antes mesmo da entrevista coletiva do treinador para comentar a convocação de 22 jogadores para os amistosos com Honduras e Chile, em novembro, a assessoria da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) informou que não permitiria perguntas sobre o corte do atacante do Atlético de Madri, que anunciou na terça-feira a escolha pela seleção espanhola.

No entanto, diante de uma pergunta que questionou o treinador sobre a época em que comandou Portugal (2003 a 2008) e convocou jogadores nascidos no Brasil para defender a seleção portuguesa, Felipão perdeu a paciência.

"Essa pergunta é ridícula", disse o treinador, antes de iniciar um bate-boca com um jornalista sobre o tema. "Chamaria o Deco e o Pepe, que nunca jogaram nenhum minuto, nenhum segundo, pela seleção (brasileira). Há muita diferença", afirmou o treinador, que utilizou Diego Costa em dois amistosos do Brasil este ano e havia convocado o jogador antecipadamente para os amistosos de novembro.

Felipão até ameaçou deixar a sala da entrevista coletiva, sem perceber que havia mais perguntas. Antes de despedir-se, o treinador revelou que o corte de Diego Costa abriu oportunidade para que o jovem Willian, do Chelsea, pudesse ser chamado pela primeira vez por ele.

"Algumas atuações no Chelsea chamaram atenção, e vamos ver se é realmente aquilo que vejo no Chelsea", disse o treinador.

(Por Rodrigo Viga Gaier)