Presidente do Bayern de Munique será julgado por suspeita de sonegação

segunda-feira, 4 de novembro de 2013 09:55 BRST
 

4 Nov (Reuters) - O presidente do Bayern de Munique, Uli Hoeness, será julgado a partir de 10 de março por suspeita de sonegação tributária, informou um tribunal alemão nesta segunda-feira, mas o clube decidiu que o dirigente será mantido no cargo.

Hoeness, ex-jogador da seleção alemã ocidental e há anos o principal dirigente do Bayern, chocou a Alemanha em abril ao declarar que havia alertado voluntariamente as autoridades tributárias em janeiro sobre uma conta bancária na Suíça.

Ele disse que se tratava de uma conta pessoal, criada para transações com ações. Hoeness admitiu que a usou para fazer apostas cada vez maiores, e que foi muito prejudicado com o estouro da bolha da Internet.

Em nota, o Bayern disse que seus conselheiros decidiram por unanimidade manter Hoeness como presidente, apesar dos problemas judiciais.

Hoeness foi campeão mundial e europeu jogando pela Alemanha Ocidental, e também conquistou três troféus europeus de clube pelo time bávaro. Ele passou 30 anos como gerente-geral do clube antes de ser eleito presidente do mais rico e vitorioso clube do futebol alemão.

(Reportagem de Karolos Grohmann)

 
Presidente do clube Bayern de Munique, Uli Hoeness, ao chegar para um jantar de gala em comemoração ao 50º aniversário de fundação da Bundesliga, o campeonato de futebol alemão, em Berlim. Hoeness será julgado a partir de 10 de março por suspeita de sonegação tributária, informou um tribunal alemão nesta segunda-feira, mas o clube decidiu que o dirigente será mantido no cargo. 6/08/2013. REUTERS/Thomas Peter