6 de Novembro de 2013 / às 12:11 / 4 anos atrás

Rússia vai levar tocha olímpica para primeira caminhada espacial

Tripulação da Estação Espacial Internacional posa para foto com a tocha olímpica da Olimpíada de Inverno de Sochi 2014, no cosmódromo de Baikonur, na Rússia. Dois cosmonautas russos vão levar esta semana a tocha olímpica para uma primeira caminhada espacial, em uma exibição espetacular para os Jogos de Inverno Sochi-2014. 6/11/2013.Shamil Zhumatov

Por Alissa de Carbonnel

BAIKONUR, Cazaquistão, 6 Nov (Reuters) - Dois cosmonautas russos vão levar esta semana a tocha olímpica para uma primeira caminhada espacial, em uma exibição espetacular para os Jogos de Inverno Sochi-2014.

Por razões de segurança, a tocha não estará acesa -- o que pode ser motivo de alívio para a Rússia, já que a chama se apagou muitas vezes desde o início do revezamento da tocha, no mês passado.

O russo Mikhail Tyurin, o norte-americano Rick Mastracchio e o japonês Koichi Wakata levarão a tocha na quinta-feira quando decolarem para a Estação Espacial Internacional do cosmódromo de Baikonur, que Moscou aluga do Cazaquistão.

Tyurin entregará a tocha para os colegas cosmonautas Oleg Kotov e Sergei Ryazansky, que estão na estação orbital, quando eles saírem para uma caminhada espacial no sábado.

A tocha olímpica já foi duas vezes para o espaço, em 1996 e em 2000, mas nunca foi tirada de uma espaçonave.

"Nosso objetivo aqui é fazer com que seja espetacular", disse Kotov a repórteres antes do início da missão. "Nós gostaríamos de exibir nossa tocha olímpica no espaço. Vamos tentar fazê-lo de uma maneira linda. Milhões de pessoas vão vê-la ao vivo na TV e vão ver a estação e como trabalhamos".

A tocha será trazida de volta para a Terra pelo russo Fyodor Yurchikhin, a astronauta norte-americana Karen Nyberg e o astronauta da Agência Espacial Europeia Luca Parmitano em 11 de novembro.

Então, continuará o revezamento de 65.000 quilômetros que levou a tocha até o Polo Norte em um quebra-gelo nuclear e a levará até o pico mais alto da Europa, o Monte Elbrus, e até as profundezas do Lago Baikal, na Sibéria.

Além de substituir a chama de gás, os engenheiros russos equiparam a tocha com uma corrente. "Ela foi reformulada para ser levada ao espaço aberto... só para que não saia voando", disse Sergei Krikalev, chefe do Centro de Treinamento de Cosmonautas, nos arredores de Moscou.

AMBIÇÕES DE PUTIN

Enquanto a tocha russa vermelha e prata estiver no espaço, a chama continuará acesa na Terra.

O tamanho e a grandiosidade do revezamento da tocha estão em sintonia com as tentativas do presidente russo, Vladimir Putin, de usar os Jogos para retratar a Rússia como um Estado moderno e mostrar o quanto avançou desde o fim da União Soviética em 1991.

O ex-espião da KGB colocou bastante prestígio político pessoal nos Jogos, que começam em 7 de fevereiro depois que a tocha chegar a Sochi.

A embarcação Soyuz que levará a tripulação de três homens para o espaço na quinta-feira será adornada com o logo de Sochi-2014 e um adesivo em forma de floco de neve azul e branco.

"A Olimpíada é um evento internacional enorme que faz muitos, muitos países cooperarem e trabalharem em conjunto para levar a cabo um evento tão formidável", disse Mastracchio, de 53 anos, em entrevista coletiva em Baikonur.

"Então, de uma maneira pequena, acho ótimo que estejamos levando esse símbolo para a estação espacial internacional, que é outra representação da cooperação internacional".

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below