Blatter descarta co-sede para a Copa do Mundo de 2022

sábado, 9 de novembro de 2013 15:12 BRST
 

DOHA (Reuters) - A Fifa descartou qualquer possibilidade de o Qatar co-sediar a Copa do Mundo de 2022 com países vizinhos, disse Joseph Blatter neste sábado.

O presidente da Fifa acrescentou que o organismo rejeitou a realização do Mundial em janeiro e fevereiro de 2022 por respeito à família olímpica e disse que o Qatar está reagindo às críticas de seu tratamento a trabalhadores migrantes.

"A decisão da Fifa é disputar (a Copa) em um país, e será o Qatar", afirmou Blatter em uma coletiva de imprensa depois de se reunir com o emir do Qatar, Sheikh Tamim bin Hamad al-Thani.

Ele negou ter insinuado que a co-sede é uma possibilidade, deixando implícito que se tratou de um mal entendido surgido durante uma coletiva de imprensa em Abu Dhabi na sexta-feira.

"Eu só estava excursionando um pouco aqui, estava no Irã e nos Emirados Árabes Unidos e surgiu a questão podemos sediar a Copa do Mundo com o Qatar?' Eu só recebi as perguntas, mas não respondi", acrescentou.

"Só quero dizer a vocês que quando tomamos a decisão para a Copa do Mundo de 2002, que realizamos em dois países com dificuldades, foram a Coreia (do Sul) e o Japão".

"Decidimos nunca ir para dois países, muito menos três, se um país for capaz de fazê-lo (sediar o torneio)".

No mês passado, a Fifa lançou um processo de consulta para decidir se o Mundial, inicialmente agendado para junho e julho, como de praxe, deveria ser transferido para uma época do ano de clima mais ameno.

Na sexta-feira, Blatter descartou uma Copa em janeiro e fevereiro e disse que a única alternativa a um torneio no verão do hemisfério norte seria novembro e dezembro de 2022.

(Por Amena Bakr)

 
O presidente da Fifa, Joseph Blatter, durante coletiva de imprensa no mês de abril em Havana, Cuba. Neste sábado, o presidente escartou qualquer possibilidade de o Qatar co-sediar a Copa do Mundo de 2022 com países vizinhos. 17/04/2013 REUTERS/Enrique De La Osa