Capello vai comandar seleção russa até a Copa de 2018, diz ministro

sábado, 16 de novembro de 2013 16:33 BRST
 

MOSCOU, 16 Nov (Reuters) - Fabio Capello será mantido no cargo de técnico da seleção russa de futebol e deve, nos próximos dias, assinar contrato que renova sua permanência à frente da equipe até a Copa do Mundo de 2018, revelou o ministro dos Esportes russo neste sábado.

"Posso dizer que, a princípio, um acordo entre o treinador e a Federação Russa de Futebol já está sendo costurado", afirmou Vitaly Mutko a jornalistas locais.

O italiano de 67 anos assinou contrato de dois anos em julho de 2012, substituindo Dick Advocaat depois que o holandês fracassou ao tentar classificar a Rússia para a Eurocopa de 2012.

Capello, então, rapidamente mudou o panorama e fez da seleção uma equipe altamente competitiva, levando a Rússia à classificação para a Copa do Mundo de 2014 no Brasil ,após terminar na frente da forte seleção de Portugal no grupo F das Eliminatórias.

"O que sei é que o advogado de Capello (o filho mais novo do treinador, Pier Filippo Capello) virá a Moscou entre os dias 21 e 22 de novembro e aí então o contrato deve ser, enfim, assinado", disse Mutko, antes de acrescentar que o italiano agora deve estender seu compromisso à frente da seleção russa para mais quatro anos.

"Existem várias especulações em cima da duração do contrato, mas provavelmente tudo será formalizado e divulgado após o sorteio da Copa (no dia 6 de dezembro)."

Capello tem em seu currículo títulos nacionais com o Milan, a Roma, a Juventus e o Real Madrid, além de uma Liga dos Campeões com o Milan.

O treinador levou a Inglaterra à Copa do Mundo de 2010 e à Eurocopa de 2012, mas deixou o cargo meses antes da competição europeia devido a problemas com a federação inglesa de futebol.

O italiano terá 72 anos quando estiver à frente da anfitriã Rússia na Copa de 2018, mas a idade não deve ser um obstáculo, segundo o ministro dos Esportes.

"Não podemos desperdiçar o bom momento e a continuidade deste trabalho", finalizou Mutko.

(Por Angel Krasimirov)