Estádio de Curitiba para Copa corre risco "real" de estourar prazo, diz fonte

terça-feira, 19 de novembro de 2013 20:17 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 19 Nov (Reuters) - A chance de as obras na Arena da Baixada, em Curitiba, não ficarem prontas dentro do prazo fixado pela Fifa para o Mundial de 2014, no fim deste ano, já é admitida dentro do governo, segundo uma fonte próxima ao assunto.

"Essa é uma possibilidade real", disse à Reuters nesta terça-feira uma fonte sob condição de anonimato.

O estádio do Atlético Paranaense é um dos seis que não participaram da Copa das Confederações, em junho, e precisaria ficar pronto no fim do ano para a realização de eventos-teste para a Copa do Mundo do ano que vem.

"Eu diria que em Curitiba está o nosso risco mais alto (de não cumprir prazo)", declarou a fonte.

A Justiça determinou a paralisação da reforma do estádio em outubro, alegando que o consórcio responsável não vinha respeitando leis trabalhistas. Mas o consórcio informou que a obra não chegou a ser interrompida, uma vez que as obrigações trabalhistas foram atendidas antes da notificação judicial.

Segundo a fonte, um dos grandes e graves problemas da obra na capital paranaense é a falta de um líder local de coordenação das ações e execuções.

"Ao contrário de outros locais, como em São Paulo, que tem a Odebrecht como agente integrador, em Curitiba não há essa referência. Isso passa a ser um complicador", revelou a fonte.

"São várias empresas pulverizadas, o que dificulta a tomada de decisões, o andamento dos procedimentos e atraso em execuções."

Durante a realização das obras, o Atlético-PR e o consórcio responsável pelas obras cogitaram a possibilidade de instalação de uma cobertura retrátil na arena, mas a ideia foi retirada do projeto para a Copa, porque, segundo os organizadores, comprometeria o prazo de entrega.   Continuação...