Blatter culpa França e Alemanha por escolha de Catar para Mundial

sexta-feira, 22 de novembro de 2013 20:02 BRST
 

ROMA, 22 Nov (Reuters) - França e Alemanha deveriam ser responsabilizadas pelo tratamento dos trabalhadores migrantes no Catar, porque exerceram pressão política para conceder ao pequeno Estado do Golfo o direito de receber a Copa do Mundo de 2022, disse o presidente da Fifa, Joseph Blatter, nesta sexta-feira.

Blatter afirmou que interesses financeiros levaram as duas maiores economias da Europa a fazer lobby para o torneio no Catar e que as empresas de construção eram, em última instância, responsáveis pelo tratamento de seus trabalhadores.

A Fifa tem enfrentado uma série de controvérsias desde que concedeu a sede da Copa do Mundo para o Catar em 2010, sendo a última delas alimentada por denúncias de exploração dos trabalhadores migrantes no setor de construção do país.

Falando em uma conferência de imprensa em Roma, Blatter disse que a votação que premiou o Catar foi influenciada por "pressão política dos países europeus... porque havia muitos interesses econômicos".

"Dois desses países pressionaram os homens que votam na Fifa: França e Alemanha...Acho que os chefes de Estado destes dois países também devem expressar o que pensam desta situação", disse Blatter.

O Parlamento Europeu fez um apelo na quinta-feira para que a Fifa pressione o Catar para abordar as condições de trabalho em estádios e infraestrutura em construção para o evento.

"É fácil dizer que todas as responsabilidades recaem sobre a Fifa. Não, não, nós somos parte desta responsabilidade", disse Blatter.

Os governos francês e alemão não responderam imediatamente a um pedido de comentário.

(Por Naomi O'Leary)