Quem será o artilheiro da seleção se Fred não for mais o mesmo?

terça-feira, 3 de dezembro de 2013 16:21 BRST
 

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 3 Dez (Reuters) - Neymar foi o craque e o centro das atenções. Fred, o artilheiro. A dupla que liderou o Brasil no título da Copa das Confederações parecia pronta para o Mundial de 2014 com um ano de antecedência -- até que o camisa 9 sofreu mais uma lesão na carreira e desfalcou a seleção brasileira na reta final de 2013.

Autor de dois gols contra a Espanha na vitória por 3 x 0 na final do torneio preparatório para a Copa do Mundo, Fred está há três meses sem jogar devido a uma lesão na coxa sofrida em partida do Fluminense no Campeonato Brasileiro, no fim de agosto. Ao longo da carreira, problemas físicos têm caminhado lado a lado com o faro de gols do atacante.

Fred ainda conta com a confiança do técnico Luiz Felipe Scolari para ser parceiro de Neymar no Mundial, mas, assim como antes da Copa das Confederações --quando também estava machucado-- o jogador, de 30 anos, terá de mostrar em campo a boa forma.

"O Fred é um jogador importante. Se ele estiver bem, se conseguir reconquistar a confiança do treinador, ele vai ter o espaço dele. Mas se não se recuperar, tem outros grandes jogadores para a posição dele", disse o ex-atacante Ronaldo, que assim como Fred conviveu ao longo da carreira com seguidas contusões.

Durante a ausência de Fred, Felipão utilizou como primeira opção Jô, reserva imediato que correspondeu durante a Copa das Confederações, com dois gols marcados em três jogos. No entanto, o atacante do Atlético Mineiro caiu de rendimento nos últimos meses, e parece ter mais o perfil de reserva para o decorrer de partidas do que para ser titular numa Copa do Mundo em casa.

O treinador tentou trazer Diego Costa, artilheiro do Campeonato Espanhol pelo Atlético de Madri, para ser testado na vaga de Fred, mas falhou na tentativa de convencê-lo a vestir a camisa verde e amarela. O atacante, com dupla cidadania, escolheu jogar pela Espanha.

A decisão de Diego, que disputou alguns minutos de dois amistosos do Brasil em março, fez Felipão reagir dizendo que ele estava dando as costas para o sonho de milhões de representar a seleção pentacampeã em uma Copa do Mundo no Brasil.

Os dois últimos amistoso do Brasil no ano (vitórias contra Honduras e Chile) apontaram um possível caminho a ser seguido pelo treinador, se o Fred de 2014 não for o mesmo de 2013. Após dois anos de ausência, Robinho voltou a jogar, e a marcar gol, pela seleção, atuando como falso 9.   Continuação...

 
O atacante Fred comemora gol do Brasil na final da Copa das Confederações, em 30 de junho, no estádio do Maracanã. REUTERS/Sergio Moraes