6 de Dezembro de 2013 / às 21:22 / em 4 anos

Técnicos reclamam mais de viagens e clima do que de adversários

Por Pedro Fonseca

COSTA DO SAUÍPE, 6 Dez (Reuters) - A seleção de Honduras terá de enfrentar França e Suíça na primeira fase da Copa do Mundo, mas a única coisa que fez o técnico da equipe reclamar da sorte na definição dos grupos do Mundial, nesta sexta-feira, foi ter de viajar de Curitiba a Manaus.

As longas viagens durante a Copa, que além do cansaço implicarão em mudanças bruscas de temperatura, eram motivo de preocupação maior do que a própria distribuição dos adversários para muitos treinadores antes do sorteio.

O técnico da Inglaterra, Roy Hodgson, chegou a dizer que a única coisa que gostaria de evitar era ter de jogar em Manaus, devido à distância e ao calor -- declaração que gerou uma resposta do prefeito Arthur Virgílio (PSDB) dizendo que a cidade também não gostaria de receber os ingleses.

Eis que a Inglaterra terá de fazer a estreia no Mundial justamente na capital amazonense, contra a Itália.

"As condições no norte serão difíceis, então estaremos ambos no mesmo barco", disse o técnico após o sorteio, aliviado por ao menos ter como adversário um outro time europeu. "Se eu tivesse três jogos no Norte, seria bastante difícil."

Não foi a Inglaterra, mas a Alemanha que foi sorteada para jogar as três partidas da primeira fase na região Nordeste: Salvador, Fortaleza e Recife.

A praticidade logística de ter os jogos concentrados numa mesma área não compensa os problemas que os jogadores alemães podem ter de enfrentar com o calor, segundo o técnico Joachim Loew.

"Talvez fosse melhor ter um jogo no Sul para refrescar o time, apesar da viagem mais longa", afirmou.

Entre as viagens mais complicadas do Mundial, a Austrália vai estrear contra o Chile em Cuiabá e cinco dias depois jogará em Porto Alegre. Além da distância, a equipe terá de lidar com a diferença de temperatura. Em Cuiabá, a máxima média nos meses de junho é 31 graus Celsius, enquanto a capital gaúcha tem mínima de 11 graus no mesmo mês, em média, segundo o Climatempo.

Situação semelhante ocorre com o time de Honduras, que jogará os dois primeiros jogos no inverno do Sul (Porto Alegre e Curitiba) mas vai encerrar a primeira fase em Manaus, onde a máxima em junho também é de 31 graus Celsius.

Um torcedor que quiser acompanhar a equipe hondurenha no trajeto Curitiba-Manaus teria de encarar seis horas de viagem, com uma escala, pagando no mínimo 1.000 reais só de ida, de acordo com a disponibilidade da malha aérea atual.

"Isso é a única coisa que eu não gostei no grupo", disse o técnico de Honduras, Luis Suárez, sobre a viagem à Amazônia. "Vamos ter que atravessar o país para jogar. São situações do sorteio e temos que aceitar, mas será bem complicado."

Outros tiveram sorte. A Bélgica, por exemplo, jogará as três partidas da primeira fase em Belo Horizonte, Rio de Janeiro e São Paulo. A seleção brasileira, como anfitriã, já tinha posição definida no sorteio e jogará os três jogos da primeira fase em São Paulo, Fortaleza e Brasília.

Edição de Tatiana Ramil

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below