Tottenham demite técnico português Villas-Boas após humilhação em casa

segunda-feira, 16 de dezembro de 2013 12:01 BRST
 

Por Mitch Phillips

LONDRES, 16 Dez (Reuters) - André Villas-Boas foi demitido nesta segunda-feira do cargo de técnico do Tottenham Hotspur após sofrer duas goleadas humilhantes em três semanas no Campeonato Inglês, que expuseram a fragilidade da equipe apesar dos mais de 100 milhões de libras gastos em novos jogadores.

O Spurs perdeu por 5 x 0 para o Liverpool diante de sua própria torcida no domingo, depois de já ter sido goleado por 6 x 0 pelo Manchester City no mês passado. O clube anunciou a demissão do técnico português "por consenso mútuo" em comunicado.

O ex-treinador do Porto, que assumiu o time londrino em julho de 2012, ficou mais tempo no cargo do que em seu time anterior, o Chelsea, de onde foi demitido com apenas oito meses de trabalho.

O Spurs contratou uma série de novos jogadores para esta temporada, incluindo Roberto Soldado (por 26 milhões de libras), Erik Lamela, Christian Eriksen e Paulinho, com o dinheiro recebido pela venda de Gareth Bale para o Real Madrid pelo valor recorde de 100 milhões de euros (137,30 milhões de dólares).

O vasto número de caras novas e a variedade de nacionalidades aparentemente dificultaram o trabalho de Villas-Boas na formação do time, resultando em uma temporada de resultados inconsistentes.

Com apenas 15 gols em 16 partidas, o time frustrou as expectativas da torcida, além de ter sido humilhado nas goleadas contra Manchester City e Liverpool. Nesta última, o volante brasileiro Paulinho foi expulso.

O time está em 7º lugar no Campeonato Inglês, oito pontos atrás do líder e rival local Arsenal. Ao menos a equipe está bem na Liga Europa e na Copa da Liga Inglesa.

 
Técnico do Tottenham Hotspur, André Villas-Boas, durante partida da Liga Europa contra o Anzhi Makhachkala, em Londres. André Villas-Boas foi demitido nesta segunda-feira do cargo de técnico do Tottenham Hotspur após sofrer duas goleadas humilhantes em três semanas no Campeonato Inglês, que expuseram a fragilidade da equipe apesar dos mais de 100 milhões de libras gastos em novos jogadores. 12/12/2013. REUTERS/Jed Leicester