Putin inspeciona pessoalmente locais das Olimpíadas de Inverno

sexta-feira, 3 de janeiro de 2014 14:44 BRST
 

MOSCOU, 3 Jan (Reuters) - O presidente russo, Vladimir Putin, começou a inspecionar os locais de competição dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi nesta sexta-feira, cinco semanas antes do início do evento, que tem sido marcado pelas críticas relacionadas aos direitos humanos na Rússia e pelos temores em relação à segurança.

Em imagens mostradas no canal de TV Rossiya-24, Putin, de 61 anos, é visto descendo uma pista de ski com óculos escuros e capacete. Ele e o primeiro ministro Dmitry Medvedev também se encontraram com atletas e checaram os hotéis da cidade.

Um porta-voz de Putin disse que ele visitaria todos os locais de competição nos próximos dias e assistiria a um ensaio da cerimônia de abertura.

O sucesso ou o fracasso dos Jogos marcarão o legado de Putin. O presidente tem a sua imagem ligada ao projeto de 50 bilhões de dólares, desde que ele próprio viajou a Guatemala em 2007 para convencer os dirigentes olímpicos para levar os jogos a Sochi.

As recentes mortes de 34 pessoas em dois atentados a bomba em Volgogrado, cerca de 700 quilômetros a nordeste de Sochi, colocaram em evidência a ameaça representada pelos insurgentes islâmicos, que têm prometido agir para atrapalhar os Jogos.

O Comitê Olímpico Internacional disse não ter dúvidas que a Rússia será capaz de garantir a segurança.

Moscou também sofre críticas no campo dos direitos humanos. Ativistas e governos ocidentais criticam uma lei que bane a "propaganda gay" no país.

Numa medida para apaziguar os críticos antes dos Jogos, Putin libertou no mês passado conhecidos prisioneiros russos: o ex-magnata do petróleo Mikhail Khodorkovsky e duas integrantes da banda punk Pussy Riot.

(Reportagem de Vladimir Soldatkin)

 
Presidente russo, Vladimir Putin, durante visita ao centro "Laura" de esqui e biathlon, no resort de Krasnaya Polyana, próximo a Sochi. Putin começou a inspecionar os locais de competição dos Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi nesta sexta-feira, cinco semanas antes do início do evento, que tem sido marcado pelas críticas relacionadas aos direitos humanos na Rússia e pelos temores em relação à segurança. 3/01/2014. REUTERS/Alexei Nikolskiy/RIA Novosti/Kremlin