Mulher de Schumacher pede que mídia deixe família em paz

terça-feira, 7 de janeiro de 2014 10:35 BRST
 

Por Erik Kirschbaum

BERLIM, 7 Jan (Reuters) - A mulher de Michael Schumacher fez um apelo à mídia para que se retire do hospital na França onde jornalistas estão de plantão desde o grave acidente de esqui sofrido pelo ex-piloto alemão há nove dias e que deixe os médicos trabalharem.

Corinna Schumacher também pediu à mídia para deixar a família dela em paz, após reportagens na imprensa alemã na segunda-feira afirmando que houve leve melhora no estado de saúde do heptacampeão mundial de F1, horas depois de o hospital em Grenoble ter divulgado boletim médico dizendo que Schumacher continuava em estado estável mas grave.

"Por favor nos apoiem em nosso esforço junto com Michael", disse Corinna em comunicado. "É importante para mim que vocês deixem os médicos e o hospital para que eles possam trabalhar em paz. Por favor confiem nos comunicados e deixem o hospital. Por favor, também deixem nossa família em paz."

Essas foram as primeiras declarações públicas de Corinna desde 30 de dezembro, quando divulgou um outro comunicado em que agradeceu à equipe médica pelo esforço e expressou gratidão aos fãs do mundo todo pelo apoio.

Schumacher sofreu lesões no cérebro ao bater a cabeça em uma rocha enquanto esquiava na França em 27 de dezembro. Ele está em coma induzido desde então e foi submetido a duas cirurgias em Grenoble.

O hospital e assessores de Schumacher já pediram repetidas vezes à mídia para respeitar a privacidade dele.

A equipe médica tem realizado entrevistas coletivas e divulgado boletins médicos periodicamente sobre o estado de saúde do ex-piloto. Na segunda-feira, o hospital disse que "o estado de saúde de Michael Schumacher é estável à medida que ele está sob tratamento e cuidado intensivos. Entretanto, a equipe médica responsável reforça que continua a considerar a situação dele como grave."

O jornal alemão Bild, o mais vendido da Alemanha, disse nesta terça-feira sob a manchete "Primeiras esperanças para Schumi" que o ex-piloto quase morreu duas vezes na semana passada. Segundo o jornal, os médicos agora estão mais otimistas que ele vai sobreviver.

 
Visão geral do hospital universitário em Grenoble, nos Alpes franceses, onde o heptacampeão de Fórmula 1 Michael Schumacher está hospitalizado, 5 de janeiro de 2014. A mulher de Michael Schumacher fez um apelo à mídia para que se retire do hospital na França onde jornalistas estão de plantão desde o grave acidente de esqui sofrido pelo ex-piloto alemão há nove dias e que deixe os médicos trabalharem. REUTERS/Charles Platiau