Jogador alemão que se declarou gay espera que revelação aumente tolerância

sexta-feira, 10 de janeiro de 2014 15:13 BRST
 

Por Erik Kirschbaum

BERLIM, 10 Jan (Reuters) - Thomas Hitzlsperger, o primeiro jogador famoso da Alemanha a assumir que é gay, espera que um dia seja normal para atletas falarem sobre os seus namorados com os companheiros de time.

O ex-jogador de 31 anos, que disputou 52 partidas pela seleção alemã e jogou pelo time alemão Stuttgart, pelos ingleses Aston Villa, Everton e West Ham e pelo italino Lazio, provocou um debate nacional sobre tolerância.

Mesmo assim, Hitzlsperger, que deixou o futebol em setembro por causa de uma contusão, não tem certeza se aconselharia jogadores na ativa a revelarem que são gays.

"Cada um tem que decidir por si mesmo", afirmou ele ao jornal Bild nesta sexta-feira.

"Mas seria ótimo se fosse normal um jogador de futebol ser capaz de falar sobre o seu namorado no vestiário, e não somente sobre a nova namorada, e que isso não fosse considerado mais incomum."

Apesar do alcance mundial do futebol, são poucos no esporte que assumiram ser gays, especialmente durante a carreira, já que o medo de reações negativas de treinadores, colegas e torcedores os forçam a manter segredo sobre a sexualidade.

O caso mais famoso do Reino Unido foi o do atacante do Norwich City Justin Fashanu, que assumiu a sua condição para um tabloide em 1990 e cometeu suicídio oito anos depois.

Robbie Rogers, que abandonou o futebol, assumiu ser gay depois de liberado pelo Leeds United no ano passado.   Continuação...

 
Ex-jogador de futebol da seleção da Alemanha e do clube Stuttgart Thomas Hitzlsperger comemora gol marcado em partida contra o Hannover 96 pelo Campeonato Alemão de 2006, em Hanover. Hitzlsperger, o primeiro jogador famoso da Alemanha a assumir que é gay, espera que um dia seja normal para atletas falarem sobre os seus namorados com os companheiros de time. 12/11/2006. REUTERS/Alex Grimm