Milan demite técnico Allegri; Seedorf é visto como favorito para cargo

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014 16:03 BRST
 

13 Jan (Reuters) - O Milan demitiu o técnico Massimiliano Allegri nesta segunda-feira após uma sequência de resultados ruins, e a mídia italiana disse que o clube deve apostar no meia holandês Clarence Seedorf como novo treinador da equipe.

Seedorf, atualmente jogando no Botafogo e que não tem experiência como técnico, deve chegar à Itália na quinta-feira para assumir a equipe, segundo reportagens. O jogador, no entanto, disse a um jornal que não deseja comentar o assunto.

"O Milan deseja comunicar que Massimiliano Allegri e sua comissão técnica foram dispensados de suas tarefas com efeito imediato", disse o clube heptacampeão europeu em comunicado.

"O Milan gostaria de agradecer ao sr. Allegri e sua comissão técnica por seu tempo com o clube e deseja a eles o melhor para o futuro. Mauro Tassotti vai assumir a equipe interinamente".

Allegri foi demitido menos de 24 horas após o Milan ter desperdiçado uma vantagem de dois gols e sofrido uma derrota por 4 x 3 para o recém-promovido Sassuolo, com quatro gols sofridos em 30 minutos.

A derrota deixou o Milan em 11º lugar na Série A, com 22 pontos em 19 jogos, 20 pontos atrás do 3º colocado Napoli, que ocupa no momento a última vaga de classificação para a Liga dos Campeões.

Sob comando de Allegri, a equipe venceu apenas cinco jogos do Campeonato Italiano nesta temporada.

O treinador de 46 anos, em seu quarto ano no clube, era alvo de constante especulação na mídia sobre seu futuro nas últimas semanas, e disse durante a paralisação do Natal que deixaria o clube ao final da temporada.

Depois da derrota de domingo, Barbara Berlusconi, filha do presidente do clube, Silvio Berlusconi, disse à agência de notícias Ansa que a atuação da equipa era inaceitável.   Continuação...

 
Técnico do Milan Massimiliano Allegri durante coletiva de imprensa em Glasgow. O Milan demitiu Allegri nesta segunda-feira após uma sequência de resultados ruins. 25/11/2013. REUTERS/Russell Cheyne