14 de Janeiro de 2014 / às 15:43 / 4 anos atrás

Seedorf deixa o Botafogo para se tornar técnico do Milan

Jogador do Botafogo Clarence Seedorf durante partida contra o Sobradinho pela Copa do Brasil, em Brasília. Seedorf anunciou nesta terça-feira o fim da passagem pelo Botafogo e a aposentadoria dos gramados após uma carreira recheada de títulos para assumir o cargo de técnico do Milan. 17/04/2013. REUTERS/Ueslei Marcelino

Por Pedro Fonseca

RIO DE JANEIRO, 14 Jan (Reuters) - Clarence Seedorf anunciou nesta terça-feira o fim da passagem pelo Botafogo e a aposentadoria dos gramados após uma carreira recheada de títulos para assumir o cargo de técnico do Milan.

“Estou aqui para anunciar que vou parar de jogar futebol, vou me aposentar, depois de 22 anos. Foi uma noite difícil, mas estou muito satisfeito com o que fiz na minha carreira, o que consegui fazer aqui no Botafogo”, disse Seedorf, de 37 anos, que chegou ao Botafogo em junho de 2012 após uma passagem de 10 anos pelo próprio Milan, clube onde é ídolo da torcida.

“Não é um adeus, com certeza a gente vai se reencontrar. Toda experiência desse um ano e meio (no Botafogo) vai me ajudar em meu próximo passo, que vai ser como treinador do Milan”, acrescentou o holandês em entrevista coletiva no Engenhão, estádio onde estreou pelo clube carioca.

O agora ex-jogador tinha contrato com o Botafogo até junho deste ano, mas uma cláusula previa a liberação do compromisso sem custos em caso de oferta para assumir uma função fora de campo.

Seedorf chegou a se apresentar para os treinamentos na segunda-feira no Botafogo para o início da pré-temporada, e disse ter recebido uma ligação com a proposta do clube italiano durante a atividade. O acordo terá duração de dois anos e meio, de acordo com a empresária do jogador, Deborah Martin, também presente à entrevista.

“É óbvio que um lugar (Milan) que meu deu 10 anos de vida no futebol, meu relacionamento com o presidente de lá é muito forte, e quando ele me pediu eu não podia falar não”, disse Seedorf, que deve viajar para Milão ainda nesta terça, depois de despedir-se pessoalmente dos jogadores do Botafogo que estão treinando em Saquarema (RJ).

O holandês era cotado para assumir o Milan desde o fim do ano passado, diante da campanha ruim do time italiano sob comando de Massimiliano Allegri. A demissão do treinador na segunda-feira, no entanto, antecipou a mudança de carreira de Seedorf.

Pelo Botafogo, Seedorf conquistou o Campeonato Carioca de 2013 e ajudou o time a conseguir o 4º lugar no Campeonato Brasileiro do ano passado, classificando a equipe para disputar a Copa Libertadores pela primeira vez desde 1996.

Apesar de ter passado por altos e baixos, incluindo partidas em que foi vaiado pela torcida, o jogador tornou-se um dos maiores ídolos da história recente do time, tanto pelas apresentações em campo como pelo carisma fora dele.

Sua apresentação oficial foi acompanhada por cerca de 20 mil torcedores, que o viram descer de helicóptero no centro do gramado do Engenhão.

“As pessoas não acreditavam que seria possível que Clarence Seedorf jogasse no Botafogo, e quando isso se tornou realidade, foi muito importante para o clube e para nossa torcida”, disse o presidente do Botafogo, Mauricio Assumpção, que disse estar dando apenas um até breve, e não um adeus, ao holandês.

Nascido no Suriname e com passagem pela seleção da Holanda, Seedorf é um dos maiores vencedores da Liga dos Campeões da Uefa, torneio que conquistou quatro vezes com as camisas de Ajax (1995), Real Madrid (1998) e Milan (2003 e 2007).

Ele vai assumir o Milan na 11º colocação do Campeonato Italiano, após a derrota de virada por 4 x 3 para o Sassuolo, no domingo, que selou a demissão de Allegri. O resultado deixou o clube 30 pontos atrás da líder Juventus e a 20 pontos do Napoli, que ocupa a última posição que garante uma vaga para a próxima Liga dos Campeões.

Durante sua passagem pelo Milan como jogador, Seedorf conquistou dois títulos italianos e uma Copa Itália, além das duas Ligas dos Campeões.

Ele também ganhou o prêmio de melhor meio-campista da Europa em 2007.

O novo técnico agora vai comandar alguns jogadores que foram seus companheiros de equipe, entre eles o brasileiro Kaká.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below