Ex-braço direito de Blatter deve anunciar candidatura à presidência da Fifa

sexta-feira, 17 de janeiro de 2014 11:28 BRST
 

Por Mike Collett

LONDRES, 17 Jan (Reuters) - Jérôme Champagne, antigo braço direito do presidente da Fifa, Joseph Blatter, deve anunciar candidatura para suceder Blatter no comando da entidade responsável pelo futebol mundial, após convocar uma entrevista coletiva em Londres na segunda-feira.

Pessoas que acompanham a Fifa especulam há meses sobre os planos de Champagne, após a publicação em 2012 de um documento em que o francês apresentou suas visões para o futuro e a direção a ser seguida pelo futebol mundial.

Champagne, de 55 anos, que foi secretário-geral da Fifa entre 2002 e 2005 e deixou a entidade em 2010, trabalha atualmente como consultor internacional de futebol em regiões com Kosovo e os territórios palestinos.

No documento de 2012 intitulado "Que Fifa para o século 21?", Champagne apresentou visões de longo prazo, mas também reforçou os pontos fortes tradicionais da Fifa. Entre suas propostas principais está a ampliação do comitê-executivo e tornar a Fifa mais aberta e transparente.

Em entrevista passada à Reuters, Champagne disse: "A eleição de 2015 é absolutamente crucial para o futuro do esporte mundial, e vai delinear o futebol por muitos anos. Temos de abraçar novas ideias e desenvolver outras, como a tecnologia, temos de adotar as mudanças do mundo moderno."

Blatter, que vai completar 78 anos em março, é presidente da Fifa desde 1998 e tinha Champagne como aliado próximo na entidade. O suíço ainda não confirmou se vai concorrer a um quinto mandato na próxima eleição.

O presidente da Uefa, Michel Platini, também é considerado possível candidato à presidência da Fifa, mas ainda não confirmou suas intenções.

 
Ex-secretário-geral da Fifa Jérôme Champagne, durante coletiva de imprensa sobre o evento 'Fifa 100', em Londres. Champagne, antigo braço direito do presidente da Fifa, Joseph Blatter, deve anunciar candidatura para suceder Blatter no comando da entidade responsável pelo futebol mundial, após convocar uma entrevista coletiva em Londres na segunda-feira. 4/02/2004. REUTERS/David Bebber