Rússia não divide dados suficientes sobre segurança dos Jogos de Sochi, diz EUA

domingo, 19 de janeiro de 2014 18:00 BRST
 

WASHINGTON, 19 Jan (Reuters) - Os serviços de segurança da Rússia ainda não compartilharam totalmente informações necessárias para proteger atletas dos Estados Unidos nos próximos Jogos Olímpicos de Inverno de Sochi, disseram parlamentares norte-americanos neste domingo.

Apesar de Moscou enviar tropas para o sul da Rússia, onde os jogos começam no próximo mês, os russos não repassam informações suficientes à inteligência dos EUA sobre as ameaças de grupos terroristas que operam na região, disse o presidente do Comitê de Inteligência da Câmara dos Deputados, Mike Rogers.

"Nós não estamos recebendo todas as informações que precisamos para proteger os nossos atletas", afirmou o republicano Rogers ao programa "Estado da União" da CNN

Sochi fica no limite ocidental das montanhas do Cáucaso, e os militantes que tentam estabelecer um Estado islâmico na região ameaçaram atacar os Jogos Olímpicos.

O presidente russo, Vladimir Putin, que apostou seu prestígio político e pessoal no sucesso dos Jogos de Inverno, ordenou medidas de segurança reforçadas em todo o país depois de 34 pessoas foram mortas no mês passado em atentados em Volgogrado, cidade no sul da Rússia. Cerca de 37 mil soldados russos devem realizar a segurança na região de Sochi.

Putin, em entrevista a jornalistas estrangeiros neste domingo, disse que a Rússia "vai fazer o que for preciso" para garantir a segurança dos convidados, turistas e demais participantes dos Jogos de Inverno.

O presidente do Comitê de Segurança Interna da Câmara, o deputado Michael McCaul, disse a jornalistas que a cooperação com os russos no que tange à segurança "poderia ser muito melhor."

Ele ainda se mostrou preocupado com os planos apresentados de evacuação e emergência em Sochi.

(Por Susan Cornwell)