Após caso Neymar, Valcke defende transparência em contratações de jogadores

quinta-feira, 23 de janeiro de 2014 18:49 BRST
 

RIO DE JANEIRO, 23 Jan (Reuters) - O secretário-geral da Fifa, Jerôme Valcke, pediu mais transparência nas transferências de jogadores, após as suspeitas envolvendo a contratação do atacante Neymar pelo Barcelona, que levaram o presidente do clube catalão, Sandro Rosell, a renunciar ao posto nesta quinta-feira.

O secretário-geral da Fifa reconheceu que existe uma "área cinzenta" nas transferências de jogadores de futebol pelo mundo e disse que a entidade que comanda o futebol estuda medidas para combater eventuais ilegalidades nas contratações de atletas.

"Sem dúvida há uma área cinzenta nas transferências e que não é do jeito que gostaríamos que fosse. Nosso comitê legal está trabalhando nisso. Não falo só por conta do Neymar e já trabalhamos isso internamente. Talvez em 2015 tenhamos uma posição sobre isso", disse Valcke a jornalistas no Rio de Janeiro.

A possibilidade cogitada pelo secretário-geral seria a formalização de uma parceria da Fifa com um entidade financeira para que o dinheiro de todas as transferências passassem pela entidade com o objetivo de inibir fraudes e irregularidades.

Ele lembrou, no entanto, que a Fifa não é um banco e também não pretende se tornar um. Assim, uma medida neste sentido dependeria de uma parceria com uma instituição financeira.

Rosell renunciou à presidência do Barcelona depois que, na quarta-feira, o juiz Pablo Ruz admitiu a tramitação de uma ação do sócio do Barça Jordi Cases contra Rosell pelo suposto crime de apropriação indébita na contratação do astro do Barcelona e da seleção brasileira.

O Barcelona disse ter gasto 57,1 milhões de euros na transferência, embora um promotor tenha pedido a investigação de um pagamento de 40 milhões de euros a uma empresa que seria de propriedade do pai de Neymar.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)