23 de Janeiro de 2014 / às 20:53 / 4 anos atrás

Curitiba é um "drama" e única saída é trabalhar, diz fonte da Copa

Por Rodrigo Viga Gaier

RIO DE JANEIRO, 23 Jan (Reuters) - O atraso nas obras da arena de Curitiba revela uma situação dramática na preparação do Brasil para a Copa de 2014, segundo uma alta fonte próxima à organização do evento, que aposta numa aceleração no ritmo de obras até o dia 18 de fevereiro, data em que a Fifa pretende decidir se mantém Curitiba como um das sede da Copa.

"Curitiba é um drama", disse nesta quinta-feira a fonte, que pediu anonimato. Uma comissão da Fifa esteve na Arena da Baixada no começo da semana e viu de perto o atraso nas obras. Na ocasião, cogitou-se pela primeira vez a possibilidade de corte de uma das cidades-sede do mundial.

"O problema é que de dezembro até agora praticamente nada foi feito", revelou a fonte. "Sem dúvida o tempo é muito apertado e não existe outra alternativa senão trabalhar, trabalhar e trabalhar e fazer muito mais do que fizeram até agora", acrescentou.

A Fifa vai aguardar até o dia 18 de fevereiro para definir o destino da cidade de Curitiba na Copa. A ideia é que até lá, apesar de as obras não estarem concluídas, haja uma sinalização de que aceleraram e o estádio ficará pronto a tempo.

A previsão no momento é que a arena de Curitiba fique pronta em maio.

Se a cidade for cortada do programa da Copa de 2014, o que se cogita é a transferência dos quatro jogos programados para a cidade para algumas das 11 cidades-sede.

"Não tem como botar outra sede. Isso já está definido. O que se faria seria a distribuição das partidas por outras sedes", disse a fonte.

Ainda não foi definido de quem seria o custo de uma eventual mudança e de processos na Justiça movidos por torcedores prejudicados pela transferência.

Depois do alerta disparado sobre Curitiba, o governo se apressou em anunciar medidas e dar garantias para evitar o corte da cidade da Copa do Mundo.

Nesta quinta-feira, o secretário-executivo do Ministério do Esporte, Luis Fernandes, deu detalhes sobre as novas medidas que incluem a criação de um conselho gestor para obra. Esse conselho incluirá profissionais experientes da cidade de Curitiba e do Governo do Estado em obras de grande porte.

Outra medida adotada foi a de estabelecer mais um turno para as obras na arena de Curitiba e a possibilidade de inclusão de um terceiro turno, desde que haja respeito à lei do silêncio, uma vez que o estádio está localizado próximo a uma área residencial.

"A situação de Curitiba é desconfortável, mas a boa notícia é que existe um movimento nacional incluindo governos federal, estadual e prefeitura para fazer o que é necessário", disse a fonte.

Em dezembro, o Atlético Paranaense, proprietário da Arena da Baixada, informou que 88,8 por cento das obras do estádio estavam concluídas.

As medidas emergenciais devem ter um custo adicional. As obras da arena de Curitiba foram orçadas em aproximadamente 265 milhões de reais, e uma agência de fomento local ainda liberou 39 milhões de reais antecipadamente.

O primeiro jogo da Copa na capital paranaense está marcado para 16 de junho, entre Irã e Nigéria. Quatro dias depois Honduras e Equador se enfrentarão na cidade, que também receberá os jogos entre Austrália e Espanha (dia 23 de junho) e entre Argélia e Rússia (dia 26).

O prazo original estipulado pela Fifa para a conclusão da Arena da Baixada era dezembro do ano passado, mas as obras não ficaram prontas, assim como nos outros cinco estádios da Copa do Mundo que não foram utilizados na Copa das Confederações de 2013.

Com reportagem adicional de Felipe Pontes

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below