Vitória de Nadal na Austrália pode esquentar debate sobre melhor de todos os tempos

sábado, 25 de janeiro de 2014 15:43 BRST
 

MELBOURNE, 25 Jan (Reuters) - Rafael Nadal tem a oportunidade de escrever mais um capítulo em sua movimentada carreira e esquentar um debate já intenso caso derrote Stanislas Wawrinka na final do Aberto da Austrália no domingo.

Uma vitória faria do canhoto espanhol o terceiro homem a vencer os quatro torneios de Grand Slam duas vezes, ao lado dos australianos Rod Laver e Roy Emerson, e a empatar com Pete Samprascom 14 títulos de grandes torneios. Também o deixaria a três troféus de Roger Federer, que Nadal bateu na semifinal, e sem dúvida desencadearia mais uma rodada de discussões sobre quem pode merecidamente ser chamado de maior tenista de todos os tempos.

"Existe um maior tenista de todos os tempos?", respondeu Sampras quando indagado pelos repórteres se Nadal ou Federer pode receber tal honraria. "Acredito que, quando você olha a história do esporte, cada década tem seu jogador".

"Certamente Roger foi o melhor dos últimos 10 anos. Rafa está logo ali com ele. (Novak) Djokovic está chegando. Então é difícil dizer". "Rafa conquistou todos os grandes eventos, é o número um. Pode se argumentar que ele está encostando. Se jogar nos próximos quatro, cinco anos, pode acumular 17, 18 grandes torneios".

Os dois lados têm fortes argumentos no debate Nadal versus Federer. Fãs do suíço insinuam que o histórico de Nadal é distorcido por seu domínio no saibro há muitos anos, enquanto apoiadores do espanhol apontam para suas 23 vitórias e 10derrotas diante de Federer.

Se Nadal realmente derrotar Wawrinka, entretanto, é inevitável se perguntar se ele pode fazer o que nenhum tenista conseguiu desde Laver em 1969 - vencer todos os Grand Slams do calendário de 2014.

Poucos apostariam contra um triunfo seu em Roland Garros em junho. Ele só perdeu uma partida - para Robin Soderling na quarta rodada de 2009 - no torneio de saibro desde 2005.

E a maneira como ele lidou com Federer, vencedor de 17 títulos de Grand Slam e que parecia ter reencontrado seu melhor tênis após um 2013 desalentador, dá a entender que ele será duro de derrotar em Wimbledon e no Aberto dos Estados Unidos.

Nadal, que disputou o torneio com faixas na mão esquerda por conta de uma bolha, só está preocupado com o desafio imposto por Wawrinka, de 28 anos. "Ele está jogando melhor que nunca, está pronto para ganhar de qualquer um", disse Nadal. "Se eu não jogar meu melhor tênis, não tenho chance de derrotá-lo".

(Reportagem de Greg Stutchbury)

 
Jogador Rafael Nadal celebra vitória contra Roger Federer na Suíça, na semifinal do torneio australiano de tênis, em Melbourne, 24 de janeiro de 2014. Nadal tem a oportunidade de escrever mais um capítulo em sua movimentada carreira e esquentar um debate já intenso caso derrote Stanislas Wawrinka na final do Aberto da Austrália no domingo. REUTERS/Jason Reed