Mourinho diz que Manchester City devia ter vencido mais

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014 13:27 BRST
 

3 Fev (Reuters) - O técnico do Chelsea, José Mourinho, continua a criticar o Manchester City antes do clássico do Campeonato Inglês, e diz que os oponentes deveriam ter conquistado mais troféus.

Após ter afirmado que o City havia se beneficiado do apoio dos árbitros nas últimas semanas e falado sobre o apoio financeiro dado ao clube pelo donos de Abu Dhabi, o português disse que os rivais não tiveram vitórias suficientes desde que o xeique Mansour assumiu o controle do clube em 2008.

O Manchester City foi campeão da Copa da Inglaterra em 2011 e do Campeonato Inglês no ano seguinte, mas a atual campanha na Liga dos Campeões da Europa é a primeira em que o clube conseguiu sobreviver à fase de grupos.

"Eles venceram um título, ganharam um par de copas", disse Mourinho, que está em sua segunda passagem pelo clube, do oeste de Londres, a jornalistas.

"Só que na Europa eles não foram bem, ou perto de ir bem. Falando objetivamente, eles foram muito mal na Liga dos Campeões em temporadas anteriores, e também na Liga Europa. Mas o time é fantástico, o elenco é fantástico e é normal que eles conquistem mais títulos."

O City, atualmente em segundo com 53 pontos, pode superar o Arsenal no topo da tabela se vencer nesta segunda-feira, enquanto uma vitória do Chelsea colocaria os três times a dois pontos um do outro.

A equipe do técnico Manuel Pellegrini marcou 72 gols nos 18 jogos disputados em casa nesta temporada, mas Mourinho insistiu que sua equipe seria capaz de também marcar com regularidade, apesar de não terem conseguido vencer a defesa do West Ham United na última quarta-feira.

(Reportagem de Josh Reich)

 
Técnico do Chelsea, José Mourinho, assiste à partida de seu time contra o Southampton pelo Campenato Inglês, no estádio St. Mary, em Southampton, sul da Inglaterra. Mourinho continua a criticar o Manchester City antes do clássico do Campeonato Inglês, e diz que os oponentes deveriam ter conquistado mais troféus. 1/01/2014. REUTERS/Stefan Wermuth