Presidente da Lazio diz ter recebido mais de 50 ameaças de morte desde saída de Hernanes

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014 20:48 BRST
 

3 Fev (Reuters) - O presidente da Lazio, Claudio Lotito, recebeu mais de 50 ameaças de morte desde que o clube vendeu o meia brasileiro Hernanes para a Inter de Milão no fim da janela de transferências de janeiro, disse o dirigente nesta segunda-feira.

"Ontem eu recebi de 50 a 70 ou 80 telefonemas de pseudo- fãs, que me pediram para deixar a Lazio e fizeram ameaças de morte contra mim", disse ele a jornalistas.

"Eu vivo sob escolta", acrescentou. "Os torcedores fazem parte do clube, mas agora eles ultrapassaram os limites."

Durante a entrevista coletiva, Lotito recebeu um telefonema que ele disse ser de mais um torcedor irritado.

"Quem é?", ele perguntou ao atender o telefone. "É um torcedor Lazio", afirmou, voltando-se para o público e segurando o telefone. "Ele diz que eu deveria deixar a Lazio o mais rápido possível."

"Por que você não diz quem está falando?", disse o presidente ao interlocutor, que, em seguida, desligou.

Lotito também teria recebido ameaças de morte em setembro, depois que o clube não conseguiu contratar o atacante turco Burak Yilmaz, do Galatasaray.

Lotito disse que não havia nada que a Lazio pudesse fazer para segurar Hernanes, um meio-campista talentoso, mas inconsistente, e que deve ser convocado pelo técnico Luiz Felipe Scolari para a Copa do Mundo de 2014.

"Foi decisão do Hernanes sair, então o que eu poderia fazer? Ele tinha um acordo com a Inter. Se ele tivesse ficado, estaria infeliz."

O presidente acrescentou que o brasileiro ficaria "infeliz" no clube até junho e, quando voltasse da Copa do Mundo, permaneceria por mais alguns meses antes de sair em uma transferência sem custos.

(Reportagem de Brian Homewood)