Ausência de laboratório antidoping na Copa não afetará testes, diz Wada

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014 14:17 BRST
 

Por Karolos Grohmann

SOCHI, Rússia, 7 Fev (Reuters) - A ausência de um laboratório antidoping credenciado na Copa do Mundo no Brasil não vai afetar os testes, disse o presidente da Agência Mundial Antidoping (Wada), Craig Reedie, nesta sexta-feira.

Amostras colhidas no Mundial, em junho, terão de ser levadas para a Suíça, levantando dúvidas se testes positivos de jogadores poderiam ser descobertos antes de suas próximas partidas.

"A situação bastante decepcionante é que o novo laboratório, que deve estar pronto para os Jogos Olímpicos de 2016, acho que não estará pronto para a Copa do Mundo", disse Reedie, que também é vice-presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI).

"Isso torna o trabalho da Fifa um pouco mais complicado e eu entendo que eles vão levar as amostras para o laboratório de Lausanne, que é verdadeiramente um dos bons", afirmou o dirigente à Reuters em uma entrevista.

A Wada disse em agosto que o laboratório Ladetec, no Rio de Janeiro, não cumpriu com os padrões internacionais para laboratórios, e o descredenciou.

Reedie, que assumiu a presidência da Wada no início do ano, acabou com as dúvidas de que as amostras não seriam testadas a tempo no Mundial do Brasil.

"A Fifa pode fazê-lo, porque no futebol há um intervalo de quatro ou cinco dias entre as partidas, então as amostras em Lausanne podem ser feitas com rapidez suficiente, e o processo...vai realmente funcionar", acrescentou.