Ex-parlamentar transsexual da Itália diz ter sido presa em Sochi

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014 13:23 BRT
 

Por Catherine Koppel

SOCHI, Rússia, 17 Fev (Reuters) - Uma ex-parlamentar transsexual da Itália disse nesta segunda-feira que foi presa pela polícia russa por cerca de 3 horas por tentar realizar um protesto pelos direitos dos gays durante os Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi.

Vladimir Luxuria disse à Reuters que foi levada por dois homens à paisana no domingo quando segurava um cartaz com os dizeres "Gay é OK" em russo no Parque Olímpico de Sochi. Ela disse ter sido solta no início da segunda-feira.

Luxuria disse que protestava contra uma lei sancionada pelo presidente russo, Vladimir Putin, no ano passado que proíbe a divulgação de "propaganda gay" entre menores de idade. Críticos da lei afirmam que é discriminatória contra os gays e incentiva a violência contra homossexuais.

"Acho que é importante... (ter) a oportunidade de conversar internacionalmente sobre essas coisas, porque de outra forma essas coisas acontecem na Rússia e ninguém fica sabendo, ninguém se importa", disse Luxuria após deixar o palco de um cabaré gay em Sochi.

"Eles pensam: 'Bem, não é no nosso país, é longe, é na Rússia, quem liga?'"

Luxuria disse ter sido tratada com respeito durante o período que ficou detida, mas foi informada pela polícia que não poderia promover slogans pró-gays em público.

A polícia se recusou a comentar imediatamente, e os organizadores russos dos Jogos disseram que a polícia não tinha registro formal da prisão.

 
Luxuria na tribuna do Parlamento italiano em Roma em 2006. Uma ex-parlamentar transsexual da Itália disse nesta segunda-feira que foi presa pela polícia russa por cerca de 3 horas por tentar realizar um protesto pelos direitos dos gays durante os Jogos Olímpicos de Inverno em Sochi. 28/04/2006 REUTERS/Alessandro Bianchi