Governo pede esforço de Cuiabá para terminar estádio, que terá novas inspeções

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014 20:46 BRT
 

Por Brian Winter e Jeferson Ribeiro

SÃO PAULO/BRASÍLIA, 17 Fev (Reuters) - O governo pediu nesta segunda-feira às autoridades em Cuiabá para fazer o que for necessário para ter seu estádio pronto a tempo da Copa do Mundo, depois que um relatório do Ministério Público apontou que um incêndio em outubro causou mais danos do que foi divulgado anteriormente.

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, minimizou a gravidade do incêndio ocorrido em 25 de outubro na Arena Pantanal, que ele descreveu como "pequeno", mas reconheceu que o MP de Mato Grosso exigiu uma nova avaliação, independente, das condições de segurança, após relatório de danos estruturais no local.

"Nós recomendamos ao proprietário, que é o governo do Estado, e à empresa que constrói a adotar todas as medidas para que o estádio seja entregue com a possibilidade de cumprir todos os eventos-testes necessários para a realização dos jogos da Copa", disse Aldo a jornalistas, sem dar mais detalhes.

A Reuters revelou no sábado o conteúdo do relatório dos promotores, preparado em dezembro, mas que não havia sido divulgado, segundo o qual o incêndio causou "danos estruturais" que "poderiam comprometer a estabilidade global da construção".

Os promotores disseram que não vão permitir partidas no estádio até terem a certeza de que ele é estruturalmente sólido. Um evento-teste está previsto para o início de abril, enquanto o primeiro jogo da Copa do Mundo em Cuiabá está marcado para 13 de junho, entre Chile e Austrália.

A Secopa de Mato Grosso emitiu uma nota nesta segunda-feira reafirmando que o incêndio não provocou danos estruturais na arena.

"A visita do engenheiro que elaborou o relatório do Ministério Público, citado na matéria, aconteceu em novembro do ano passado, antes das obras de recuperação serem realizadas", diz um trecho do comunicado.

O promotor estadual responsável pelo inquérito sobre o incêndio, Alexandre Guedes, confirmou o atraso na prestação de contas do governo de Mato Grosso sobre a obra. Segundo a autoridade, em 7 de fevereiro a equipe da Secopa de MT encaminhou resposta sobre o reparo, após pedido feito em 10 de dezembro.   Continuação...