Barça reitera inocência na contratação de Neymar

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014 11:56 BRT
 

MADRI, 21 Fev (Reuters) - O presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, reiterou a inocência do clube na suposta fraude fiscal ocorrida na contratação do atacante brasileiro Neymar, e insistiu que a transação foi "completamente legal".

Em um novo capítulo de uma saga que já levou à demissão do antecessor de Bartomeu, Sandro Rosell, um tribunal de Madri formalizou na quinta-feira a acusação de fraude tributária contra o clube catalão.

O Barça foi colocado na defensiva depois que um sócio apresentou uma queixa acusando Rosell de apropriação indébita de fundos para contratar Neymar. Quando detalhes da transferência vieram à tona, um juiz acatou as denúncias de fraude fiscal feitas pelo Ministério Público.

"Estamos muito confortáveis, porque o contrato é completamente normal", disse Bartomeu à emissora pública espanhola TVE na noite de quinta-feira. "Recebemos assessoria -nós, o jogador, o Santos- e fizemos tudo legalmente."

"Pretendemos agora explicar a natureza da negociação e o que são os contratos, e vamos mostrar que eles são completamente legais. Tudo foi feito corretamente. Faríamos a mesma coisa outra vez."

A transferência de Neymar do Santos para o Barcelona, no final de 2013, esteve inicialmente cercada de mistério, sem que se soubesse ao certo quanto se pagou a quem e quando.

Depois que Rosell renunciou, o Barça admitiu que Neymar custou 86,2 milhões de euros (118 milhões de dólares), incluindo pagamentos ao jogador e sua família, e não os 57,1 milhões declarados inicialmente.

O juiz solicitou os registros tributários do Barça relacionados à transação e pediu à autoridade tributária espanhola que calcule a dimensão da suposta fraude.

A imprensa local noticiou que o clube deveria ter pagado 9,1 milhões de euros em impostos além do que pagou. Não está clara qual punição poderia ser imposta ao Barça.   Continuação...

 
Presidente do Barcelona, Josep Bartomeu, durante coletiva de imprensa no estádio Camp Nou, em Barcelona. Bartomeu reiterou na quinta-feira a inocência do clube na suposta fraude fiscal ocorrida na contratação do atacante brasileiro Neymar, e insistiu que a transação foi "completamente legal". 24/01/2014. REUTERS/Albert Gea