Curitiba terá jogo-teste em março com estádio ainda inacabado

quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014 14:06 BRT
 

27 Fev (Reuters) - Confirmada pela Fifa na Copa do Mundo apesar dos atrasos, Curitiba vai realizar um jogo-teste no dia 29 de março na Arena da Baixada, que ainda estará incompleta.

O estádio, que tem previsão de conclusão em 15 de maio --menos de um mês antes do início do Mundial--, foi mantido pela Fifa no evento na semana passada, depois de a federação ter alertado em janeiro que poderia retirar a capital paranaense da Copa por causa dos problemas na reforma do estádio.

"O Clube Atlético Paranaense anuncia que o jogo-teste da Arena da Baixada para a Copa do Mundo de 2014, atendendo as recomendações da Fifa, acontecerá no dia 29 de março de 2014. O estádio receberá uma partida entre a equipe Sub-23 do CAP e um adversário que será definido", disse o time de Curitiba, proprietário do estádio, em nota.

Considerado antes da Copa o estádio mais moderno do Brasil, a Arena da Baixada enfrentou problemas para financiar a reforma, estimada em 330 milhões de reais, o que causou o atraso nas obras.

Depois do alerta da Fifa, os responsáveis pelo estádio decidiram criar um terceiro turno de trabalho, melhoraram o fluxo financeiro e estabeleceram um conselho gestor para comandar a obra. Mesmo assim, é certo que o estádio estará em obras quando da instalação das estruturas temporárias, o que a Fifa não queria que ocorresse.

Todos os seis estádios que não foram utilizados na Copa das Confederações de 2013 sofreram atrasos no cronograma, já que a Fifa havia estipulado dezembro do ano passado como prazo de entrega. A Arena das Dunas, em Natal, e o Beira-Rio, em Porto Alegre, foram os únicos estádios inaugurados este ano, restando, portanto, quatro arenas a serem entregues para o Mundial.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)

 
Visão de dentro da Arena da Baixada em Curitiba. Confirmada pela Fifa na Copa do Mundo apesar dos atrasos, Curitiba vai realizar um jogo-teste no dia 29 de março na Arena da Baixada, que ainda estará incompleta. 24/02/2014 REUTERS/Rodolfo Buhrer