Chelsea aumenta a adversidades do Tottenham em Stamford Bridge

domingo, 9 de março de 2014 15:01 BRT
 

LONDRES, 9 Mar (Reuters) - O Chelsea nunca foi derrotado em casa pelo Tottenham Hotspur, rival de Londres, nos últimos 24 anos, e essa marca incrível não foi colocada em risco neste sábado, depois que uma atuação defensiva terrível dos visitantes terminou com uma goleada por 4 a zero.

O Chelsea pulou para a liderança do Campeonato Inglês com provisórios sete pontos, já que o Tottenham implodiu e cedeu os quatro gols nos últimos 34 minutos, em Stamford Bridge, com erros defensivos de todo mundo.

Samuel Eto'o colocou o Chelsea à frente depois um escorregão do zagueiro Jan Vertonghen, aos 11 do segundo tempo, e Eden Hazard, de pênalti e quatro minutos depois, dobrou a vantagem. Dois gols no fim do substituto Demba Ba ajudaram a preservar a longa sequência de invencibilidade contra os Spurs, que não vencem em Stamford Bridge desde fevereiro de 1990.

O quinto colocado Tottenham jogou a última meia-hora com dez homens depois da expulsão do francês Younes Kaboul, por causa de falta em Eto'o dentro da grande área, perdendo de 1 x 0, e depois disso, houve apenas um vencedor.

O técnico do Chelsea, José Mourinho, que supervisionou mais de 75 jogos em casa pelo Campeonato Inglês nas suas duas passagens pelo clube e não perdeu nenhum, disse que seus jogadores ficaram calmos quando os Spurs dominaram o primeiro tempo.

"A realidade é que eles controlaram o primeiro tempo, mas isso não nos assustou, e quando os oponentes têm controle e não assustam, você fica calmo e espera o melhor momento porque esse momento sempre chega para nós".

"Nós mudamos nossa estrutura no segundo tempo e nosso jogo ficou mais conectado", acrescentou.

"Você pode dizer que o primeiro gol foi um erro de Vertonghen, mas a forma como Eto'o leu o erro foi fantástica, e a forma como colocou a bola entre as pernas do goleiro foi incrível. Depois disso, dominamos completamente e foi fácil".

Apesar de o Chelsea estar agora com sete pontos de vantagem na liderança, e nove pontos à frente do quarto colocado Manchester City, que tem três jogos a menos, Mourinho disse que o título não está garantido. (Por Mike Collett)