Japão faz primeira simulação de ataque cibernético de olho na Olimpíada de 2020

terça-feira, 18 de março de 2014 12:16 BRT
 

Por Tim Kelly e Nobuhiro Kubo

TÓQUIO, 18 Mar (Reuters) - O Japão enfrentou um ataque cibernético contra vários departamentos do governo nesta terça-feira, em uma simulação destinada a reforçar a segurança nacional do país que se prepara para sediar os Jogos Olímpicos de 2020.

O Japão está seguindo o exemplo da Grã-Bretanha, que convidou hackers para testar seus sistemas de computador durante a preparação para os Jogos Olímpicos de Londres-2012. No evento, Londres combateu múltiplos ataques cibernéticos.

Cerca de 50 especialistas em defesa cibernética se reuniram em um centro de resposta de emergência em Tóquio para a defesa contra um ataque simulado em 21 ministérios e agências e 10 associações da indústria do Estado, disse Ikuo Misumi, especialista do Centro Nacional de Segurança da Informação do Japão.

"Não é que nós não colocamos esforços em cibersegurança, mas estamos certamente atrás dos Estados Unidos", disse Ichita Yamamoto, o ministro responsável pela política de TI e que está liderando os esforços para aumentar a segurança cibernética.

O exercício simulou um ataque de phishing, onde o governo ou empresas abriram seus próprios computadores para um vírus ao visitar um site falso.

"Os ataques cibernéticos estão se tornando mais sutis, sofisticados e internacionais, e reforçar a resposta do Japão se tornou uma questão crítica", disse o porta-voz do governo japonês Yoshihide Suga.

O governo prevê que os primeiros Jogos Olímpicos no Japão desde 1964 vão levantar a economia.

Os ataques contra uma rede fechada projetada para atrair hackers aumentou para 12,8 bilhões de vezes no ano passado contra 7,8 bilhões de vezes do ano anterior.

O governo prometeu salvaguardar também a tecnologia de ponta do Japão da espionagem industrial.

A segurança cibernética do Japão é compartilhada entre a Agência Nacional da Polícia e quatro ministérios. A simulação de terça-feira foi a primeira a reunir o governo e o mundo dos negócios para combater a ameaça dos hackers.