Parreira diz que "obrigação" de ganhar Copa em casa não atinge seleção

quarta-feira, 19 de março de 2014 08:37 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 19 Mar (Reuters) - A oportunidade de apagar as tristes lembranças do Maracanazo de 1950 ao realizar novamente uma Copa do Mundo em casa impõe à seleção brasileira a obrigação de conquistar o título mundial, mas a equipe não está sendo atingida pela pressão, afirmou o coordenador-técnico da equipe, Carlos Alberto Parreira.

"Nós somos, entre aspas, o país do futebol que perdeu a primeira Copa em casa e tem a obrigação de ganhar a segunda em casa. Isso nos dá responsabilidade muito grande, mas não está nos atingindo", disse o ex-treinador, que assumiu o papel de auxiliar do técnico Luiz Felipe Scolari, em entrevista divulgada na noite de terça-feira pelo site da CBF.

Em tom de resposta aos críticos, o técnico que levou a seleção brasileira ao tetracampeonato mundial em 1994 afirmou que o time do Brasil para a Copa do Mundo tem alguns dos melhores jogadores do mundo em todas as posições, apesar de recentes problemas com os titulares Julio Cesar e Fred.

O goleiro preferido de Felipão passou por um longo período de inatividade no futebol inglês até acertar no mês passado com um time canadense que atua na liga dos Estados Unidos. O camisa 9, por sua vez, ficou entregue ao departamento médico do Fluminense por vários meses devido a uma série de contusões que colocaram em dúvida sua condição física para a disputa do Mundial.

Parreira, no entanto, reforçou a confiança da comissão-técnica nos jogadores que conquistaram o título da Copa das Confederações, em junho do ano passado.

"Temos um goleiro que já foi o melhor do mundo; os zagueiros estão entre os melhores do mundo; os laterais também e os meio de campos entre os melhores do mundo, e atacantes no nível dos melhores do mundo", afirmou. "Temos um time muito bom e com muita vontade de ganhar a Copa do Mundo."

A seleção do Brasil não perde uma partida desde agosto do ano passado, quando foi derrota pela Suíça por 1 x 0 no primeiro jogo após a conquista do título da Copa das Confederações. De lá para cá, Felipão manteve a base da equipe e realizou poucas experiências.

O técnico vai anunciar a lista dos 23 convocados para a Copa no dia 7 de maio.

(Por Rodrigo Viga Gaier)