Brasil terá novo laboratório antidoping no Rio para Jogos de 2016

quarta-feira, 19 de março de 2014 18:31 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 19 Mar (Reuters) - O Brasil voltará a ter um laboratório internacionalmente credenciado para exames antidoping nos Jogos de 2016, no Rio de Janeiro, informou nesta quarta-feira o comitê organizador da competição.

O acerto para a construção do laboratório, na Ilha do Fundão, zona norte do Rio, foi finalizado numa reunião do comitê organizador dos Jogos com integrantes do Comitê Olímpico Internacional (COI), que estão na cidade para uma visita de acompanhamento da preparação para a Olimpíada.

Os recursos para a construção e equipamentos do novo laboratório serão bancados em parceria entre governo federal e o comitê organizador.

Os valores do novo laboratório, que deve se chamar LBCD (laboratório brasileiro de controle de dopagem), não foram revelados. As obras já estão em curso e devem ser concluídas em meados deste ano. A instalação de equipamentos deve acontecer até o fim de 2014, e a expectativa do comitê é de que o laboratório seja credenciado no segundo semestre do ano que vem.

O Brasil não tem um laboratório para exames de dopagem desde o descredenciamento do Ladetec, ligado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ), feito pela Agência Mundial Antidoping (Wada) devido ao não cumprimento com as normas internacionais.

Os exames hoje são feitos no exterior e durante a Copa do Mundo deste ano as análises vão acontecer em Lausanne, na Suíça.

De acordo com o presidente da Associação Brasileira de Controle de Dopagem (ABCD), Marco Aurélio Klein, o novo laboratório será de última geração.

"Nós hoje fazemos lá fora e seremos os maiores clientes deles quando eles estiverem operando novamente", disse ele a jornalistas após participar do encontro.

"Será um prédio novo, com 12 mil metros quadrados; um investimento significativo e com certeza será um dos principais legados dos Jogos", completou ele, lembrando que há no mundo apenas 33 laboratórios desse tipo credenciados, a maioria no hemisfério norte.

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier)