Presidente uruguaio volta atrás em decisão de retirar policiais de jogos

quarta-feira, 2 de abril de 2014 17:24 BRT
 

2 Abr (Reuters) - O presidente do Uruguai, José Mujica, mudou de ideia e disse que seu governo vai se comprometer a enviar policiais para partidas de futebol, dizendo que não poderia esperar que os clubes contratassem segurança privada, informou a mídia nesta quarta-feira.

"Eu não poderia pedir aos presidentes de clubes para comandar um exército privado", disse Mujica, segundo o jornal El Pais, depois de uma reunião com representantes de clubes e do sindicato de jogadores em Montevidéu na terça-feira.

Mujica, farto da violência de torcedores dos dois principais clubes do país, Peñarol e Nacional, tinha retirado o policiamento de suas partidas no fim de semana.

"Houve dois comentários de Mujica que me deixaram satisfeito. Ele disse que proporcionar segurança era responsabilidade do Estado e que a nossa era executar o futebol", disse José Luis Palma, presidente do clube da primeira divisão Liverpool.

A mídia havia relatado temor, que se mostrou infundado, de que a Fifa poderia suspender a federação uruguaia por causa da intervenção do governo em assuntos de futebol do país e, assim, retirar o Uruguai da Copa do Mundo.

(Reportagem de Rex Gowar em Buenos Aires)