3 de Abril de 2014 / às 22:13 / em 4 anos

Auditores fazem novas exigências para liberar arquibancadas da Arena Corinthians

SÃO PAULO, 3 Abr (Reuters) - Auditores do Ministério do Trabalho fizeram mais exigências nesta quinta-feira para liberar as obras das arquibancadas provisórias da Arena Corinthians, sede da abertura da Copa do Mundo de 2014, após a morte de um operário no local no sábado.

Segundo a Fast Engenharia, empresa contratada para erguer as arquibancadas, representantes da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego em São Paulo (SRTE/SP) estiveram nesta tarde no estádio e pediram “mais documentos e plantas”, depois de analisar a situação de segurança.

A empresa não detalhou quais as novas exigências e disse ter entregado todos os documentos inicialmente pedidos pela SRTE/SP, ligada ao Ministério do Trabalho, que interditou os trabalhos nas arquibancadas temporárias na segunda-feira, dois dias depois que um operário morreu ao cair de uma altura de 8 metros.

“O Ministério do Trabalho, os nossos técnicos, só vão liberar se eles tiverem convicção de que não vai se repetir morte naquela obra, e que há garantias. Não há outro jeito, é inegociável”, disse o superintendente da SRTE/SP, Luiz Antônio de Medeiros, a jornalistas.

“Eu sei que há uma urgência nacional, mas essa urgência nacional não pode comprometer a vida.”

Em comunicado, o Ministério do Trabalho disse que os auditores fiscais possuem isenção e autonomia para o desenvolvimento de suas atribuições em relação a todos os empregadores, sem qualquer tipo de interferência externa, negando que haja pressão para a liberação da obra.

“No estádio em São Paulo, foram planejadas e executadas nove operações de fiscalização, que resultaram na lavratura de autos de infração e na imposição de interdições”, informou.

As arquibancadas temporárias são necessárias para ampliar a capacidade da Arena Corinthians em 20 mil lugares, totalizando cerca de 68 mil lugares, para receber a abertura do Mundial.

A morte do operário não foi a primeira no estádio paulista. No fim de novembro, a queda de um guindaste deixou dois operários mortos e atrasou a entrega da arena, que deveria ter sido concluída em dezembro. A nova data de finalização é 15 de abril, menos de dois meses antes do jogo de abertura entre Brasil e Croácia, em 12 de junho.

As obras no restante da arena prosseguem normalmente, mas o novo prazo pode ser ultrapassado devido à paralisação nas arquibancadas temporárias e outros impasses envolvendo a construção.

O Ministério Público de São Paulo informou na quarta-feira que não descarta a interdição parcial da arena, mesmo durante o Mundial, caso não sejam cumpridas as exigências nas condições de segurança.

A Promotoria de Justiça de Habitação e Urbanismo da capital fará uma reunião na próxima semana com os dirigentes do Corinthians e da construtora responsável pela obra, a Odebrecht, juntamente com representantes do Corpo de Bombeiros, para tornar efetivas as medidas exigidas pela corporação.

Reportagem de Tatiana Ramil e Reuters TV

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below