Organizadores do Rio 2016 admitem problemas, mas garantem "grandes Jogos"

quarta-feira, 9 de abril de 2014 19:25 BRT
 

SÃO PAULO, 9 Abr (Reuters) - Os organizadores dos Jogos Olímpicos de 2016 reconheceram nesta quarta-feira que há questões a serem resolvidas na preparação do Rio de Janeiro para sediar o evento, mas disseram que estão obtendo progresso e irão realizar "grandes Jogos".

As garantias foram dadas um dia depois de as federações esportivas internacionais, reunidas na Turquia, terem criticado o governo brasileiro pelo ritmo lento dos trabalhos e a falta de apoio institucional.

"Temos plena consciência das questões que precisam ser resolvidas. Estamos gratos pela contribuição de todas as partes envolvidas", disse a Rio2016 em um comunicado.

"Progresso foi feito nas últimas duas semanas desde a visita da Comissão de Coordenação do COI para o Rio 2016. Avançamos a cada dia. Não temos absolutamente nenhuma dúvida de que o Rio vai realizar grandes Jogos."

Embora o Rio tenha conquistado o direito de sediar o evento em 2009, as obras em Deodoro, sede de algumas modalidades como hipismo, tiro, hóquei e pentatlo moderno, ainda não foram iniciadas e o ritmo dos trabalhos nas demais é lento.

Velejadores criticaram as águas imundas onde as modalidades de vela serão realizadas e greves afetaram alguns projetos.

Na segunda-feira foram disparados tiros depois de operários terem cruzados os braços e bloqueado vias no entorno do Parque Olímpico, um dos principais locais dos Jogos.

Mas as autoridades disseram que estão trabalhando duro para aliviar as preocupações e deixar a cidade pronta.

"Ouvimos com atenção os comentários feitos na Turquia pelas Federações Esportivas Internacionais", acrescentou o comunicado. "Levamos as suas preocupações em consideração. Conversamos com o Comitê Executivo do Comitê Olímpico Internacional (COI) hoje. O compromisso de trabalhar em conjunto foi renovado. Esse é o espírito de parceria que valorizamos."

O Rio vai se tornar a primeira cidade sul-americana a sediar os Jogos Olímpicos. O Brasil também será o anfitrião da Copa do Mundo, em 12 cidades, em junho e julho.

(Reportagem de Andrew Downie)