Operários do Parque Olímpico não voltam ao trabalho apesar de acordo

quinta-feira, 10 de abril de 2014 16:59 BRT
 

RIO DE JANEIRO, 10 Abr (Reuters) - Apesar do acordo fechado com o consórcio responsável pelas obras do Parque Olímpico dos Jogos de 2016, os operários que trabalham na construção do local não retomaram as atividades nesta quinta-feira, informaram o sindicato dos trabalhadores e o consórcio.

Um acordo firmado na quarta-feira entre as partes no Tribunal Regional do Trabalho do Rio de Janeiro previa que os trabalhadores voltassem ao trabalho nesta quinta para a retomada das negociações por aumento salarial.

"Dos cerca de 2.500 operários, só cerca de 1.000 estavam lá hoje e a maioria não quis voltar porque não se sente à vontade e não acredita em avanços nas negociações", disse à Reuters o presidente do Sindicato dos Trabalhadores da Construção Civil do Rio (Sintraconst-Rio), Antonio Figueiredo Souza.

Os trabalhadores estão parados desde o dia 3 de abril e, segundo o sindicato, uma nova assembleia para definir os rumos da greve deve ocorrer na semana que vem.

Os grevistas realizaram protestos esta semana em que fecharam uma importante avenida no entorno do canteiro de obras. Numa das manifestações, tiros foram disparados para o alto durante uma confusão entre trabalhadores em greve e seguranças da obra.

A greve dos operários do Parque Olímpico se soma a outros problemas enfrentados pelos organizadores dos Jogos de 2016, incluindo a falta de um orçamento completo, obras atrasadas e a poluição da baía de Guanabara.

Nesta quinta-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou que vai adotar uma série de medidas para acelerar os preparativos olímpicos, incluindo uma presença mais forte no Rio para monitorar a organização.

(Por Rodrigo Viga Gaier)