Grande maioria das sedes não começou instalação de estruturas temporárias para Copa

segunda-feira, 14 de abril de 2014 17:35 BRT
 

Por Tatiana Ramil

SÃO PAULO, 14 Abr (Reuters) - Consideradas fundamentais pela Fifa para a realização da Copa do Mundo, as estruturas temporárias foram iniciadas em apenas duas das 12 cidades-sede a menos de dois meses do torneio e tornaram-se o mais recente impasse nos conturbados preparativos do Brasil para sediar o evento.

O caso mais preocupante ocorre em São Paulo devido à indefinição de quem vai pagar pelas instalações, que englobam estruturas para as áreas de tecnologia, segurança e imprensa e ficam no entorno dos estádios.

Por contrato, os donos dos estádios são os responsáveis por arcar com os custos --que vão de 22 milhões a cerca de 60 milhões de reais, dependendo da sede--, mas o Corinthians não quer bancar sozinho, e a prefeitura e o governo de São Paulo avisaram que não vão colocar dinheiro público.

"Não temos uma definição sobre os custos das estruturas provisórias. O Corinthians está negociando com parceiros para esse pagamento. Se isso não acontecer, o clube pagará com recursos próprios", disse o responsável do time pelas obras, Andrés Sanchez, em nota à Reuters.

O custo das estruturas no estádio paulista, sede da abertura do Mundial, em 12 de junho, chegaria a 60 milhões de reais, de acordo com uma fonte familiarizada com o assunto, e o tempo de instalação é uma preocupação, já que elas demoram de um a dois meses para ficar prontas, segundo representantes das cidades-sede.

O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, esteve no Brasil no final de março para resolver problemas sobre as estruturas temporárias, mas deixou o país sem uma definição do que vai ocorrer na Arena Corinthians.

"O principal desafio são as estruturas temporárias...sem elas não podemos ter toda a estrutura de TV, de hospitalidade. As cidades e governos precisam correr para ter essas instalações prontas para a Copa", afirmou Valcke em um vídeo no mês passado.

O Comitê Organizador Local (COL) disse em nota à Reuters que "a montagem ocorre gradativamente entre abril, maio e junho" e que "há tempo hábil para que todos os estádios estejam prontos e sejam testados para a Copa do Mundo".   Continuação...