Comentário racista de dono do Clippers foi gravado com aval dele

sexta-feira, 2 de maio de 2014 09:01 BRT
 

Por Steve Gorman e Dana Feldman

LOS ANGELES, 2 Mai (Reuters) - A gravação de áudio de um comentário racista que levou a NBA a expulsar do basquete profissional o dono do Los Angeles Clippers, Donald Sterling, foi feita com o consentimento dele pela mulher que ele critica na gravação por "se associar a pessoas negras", disse o advogado dela na quinta-feira.

Mac Nehoray, que advoga em Los Angeles, também insistiu que sua cliente, identificada como V. Stiviano, não desejava fazer mal a Sterling e não foi responsável por entregar a gravação a sites que a divulgaram no fim de semana, dando início ao escândalo.

À Reuters, Nehoray disse que a gravação foi vazada por um amigo não identificado, a quem Stiviano havia dado o material para "proteção", mas que aparentemente se deixou levar pela perspectiva de lucros financeiros.

Mas há semanas Stiviano parecia sinalizar que um escândalo estava prestes a estourar, pois postou no Instagram mensagens como "esqueletos no armário" e "está tudo saindo!".

Stiviano, de 31 anos, costumava ser habitualmente vista e fotografada com Sterling, de 80 anos.

O advogado negou, no entanto, que houvesse um relacionamento amoroso entre eles, afirmando que sua cliente era amiga do dirigente cassado, trabalhando informalmente como sua "arquivista" e sendo "encarregada" das instituições filantrópicas dele.