Camaronês Eto'o tentará encerrar carreira com chave de ouro no Brasil

quinta-feira, 8 de maio de 2014 11:26 BRT
 

Por William Schomberg

LONDRES, 8 Mai (Reuters) - Samuel Eto'o provou que seus detratores estavam errados ao desbancar os outros atacantes do Chelsea nesta temporada.

De acordo com o técnico José Mourinho, ele não teve muita concorrência, mas será mais difícil para o jogador de 33 anos deixar sua marca quando capitanear os Camarões em sua quarta, e provavelmente última, Copa do Mundo no Brasil.

Poucos vêem muitas chances de os Camarões passarem da fase de grupos do torneio, na qual irão enfrentar México, Croácia e o anfitrião Brasil.

Os problemas não se limitam aos outros times. Eto'o acusou seus companheiros de equipe de não lhe passarem a bola no ano passado, aumentando o atrito na seleção, que pena para ressuscitar os dias de glória da Copa de 1990, quando os Camarões chegaram às quartas de final.

Eto'o anunciou estar se aposentando das competições internacionais em 2013, mas rapidamente voltou atrás, dizendo que o presidente de Camarões lhe rogou que voltasse ao time.

O mundial dá a Eto'o a chance de cimentar sua reputação como, possivelmente, o maior jogador africano de todos os tempos. Ele marcou 55 gols em 112 jogos para seu país desde sua estreia internacional aos 16 anos.

Apelidado na infância de "Pequeno Milla" -em homenagem ao atacante camaronês Roger Milla, que brilhou na Copa de 1990- Eto'o levou o futebol africano a um novo patamar. Ele foi nomeado jogador do ano do continente quatro vezes, um fato inédito.

O atacante rendeu suas primeiras manchetes no Mallorca, e mais tarde conquistou a Liga dos Campeões com o Barcelona duas vezes e novamente com a Inter de Milão.   Continuação...