8 de Maio de 2014 / às 14:58 / em 3 anos

Inglaterra espera que Rooney faça jus às expectativas no Brasil

Por Stephen Wood

LONDRES, 8 Mai (Reuters) - Mais de uma década após sua estreia na seleção inglesa como um adolescente prodígio destemido e impulsivo, ainda é difícil encontrar um consenso sobre o valor de Wayne Rooney para seu país.

Ele é o talismã no qual vários técnicos da Inglaterra --assim como milhares de torcedores-- depositaram suas esperanças de sucesso tardio?

Ele é meramente um bom jogador cujo brilho ocasional expõe a mediocridade de muitos de seus companheiros estrangeiros de equipe?

Ou ele é o enigma inglês --talvez até fracassado-- que tem causado tanta frustração em grandes eventos?

O que está claro é que, aos 28 anos, com 89 partidas e 38 gols, Rooney deve à Inglaterra uma grande Copa do Mundo no Brasil.

O atacante nascido em Liverpool pode ter conquistado títulos no Campeonato Inglês e na Liga dos Campeões desde que trocou o Everton pelo Manchester United em 2004, mas sua carreira na seleção não mostra nenhum grande feito.

Ele não marcou sequer um gol em uma Copa.

Na Alemanha, em 2006, Rooney tinha acabado de se recuperar de uma lesão no pé, e era evidente que estava fora de forma quando perdeu a compostura e foi expulso por uma entrada dura em Ricardo Carvalho na partida de quartas de final que a Inglaterra perdeu para Portugal nos pênaltis.

"Não o matem", disse na ocasião o então técnico Sven-Goran Eriksson a jornalistas, quando expectativa e decepção em relação a Rooney colidiram.

Na África do Sul, em 2010, a frustração com a Inglaterra e outra contusão antes do torneio mais uma vez afetaram o atacante. No fim do chocante empate sem gols com a Argélia, ainda na fase de grupos, Rooney declarou a uma câmera de TV quando saía do campo: "Legal ver seus próprios torcedores te vaiando". Mais tarde ele se desculpou por "qualquer ofensa que tenha cometido".

Rooney não pôde participar das duas primeiras partidas da Inglaterra na Eurocopa 2012 por ter recebido um cartão vermelho durante a fase classificatória contra Montenegro. Em seu retorno, marcou o gol da vitória sobre a Ucrânia, mas não conseguiu levar seus companheiros além das quartas de final com a Itália, que também terminou em uma derrota na cobrança de pênaltis.

Mesmo no único torneio no qual Rooney brilhou --a Eurocopa de 2004--, o passar dos anos deixou a estranha sensação de um talento que não rendeu tudo que podia.

Então qual Rooney aparecerá no Brasil em junho?

Lamentavelmente para os torcedores ingleses, é impossível prever com qualquer grau de acerto.

É óbvio que a Inglaterra tem motivos para se preocupar quando Rooney se machuca antes de um grande torneio. Várias vezes ele se afastou para recuperar a boa forma, e fazê-lo durante um Mundial não é uma boa opção.

O dilema do técnico Roy Hodgson é apostar tudo no camisa 10 ou não. Em fevereiro, ele fez um apelo direto a Rooney para que mostre ao mundo tudo que é capaz de fazer no Mundial deste ano.

"Está na hora de ele explodir na Copa do Mundo, mostrar ao mundo o que sabemos na Inglaterra, que ele é um jogador de primeira categoria", disse o técnico inglês.

0 : 0
  • narrow-browser-and-phone
  • medium-browser-and-portrait-tablet
  • landscape-tablet
  • medium-wide-browser
  • wide-browser-and-larger
  • medium-browser-and-landscape-tablet
  • medium-wide-browser-and-larger
  • above-phone
  • portrait-tablet-and-above
  • above-portrait-tablet
  • landscape-tablet-and-above
  • landscape-tablet-and-medium-wide-browser
  • portrait-tablet-and-below
  • landscape-tablet-and-below