Rendimento de Figueroa será chave para aspirações de Honduras

quinta-feira, 8 de maio de 2014 12:04 BRT
 

TEGUCIGALPA, 8 Mai (Reuters) - A liderança e a ordem defensiva impostas por Maynor Figueroa, um dos jogadores mais experientes da seleção de Honduras, serão chave para a terceira aventura do país centro-americano em uma Copa do Mundo.

Figueroa, lateral-esquerdo do time inglês Hull City, também terá a oportunidade no Brasil de deixar para trás uma temporada irregular que manchou sua reputação como um dos principais jogadores de defesa do Campeonato Inglês.

Um exemplo claro das atuações ruins do jogador nesta temporada aconteceu na derrota por 4 x 1 de sua equipe para o Newcastle, em março, em que o hondurenho foi responsável por dois gols sofridos.

O jogador, que também pode atuar como meio-campista, estreou pela seleção hondurenha em 1999, aos 16 anos, quando jogava pelo Deportivo Victoria, um modesto clube de uma cidade próxima a seu local de nascimento, Jutiapa.

Em 2003 o lateral foi contratado pelo Deportivo Olimpia, um dos times mais populares do país, onde conquistou três títulos hondurenhos em cinco anos. Suas atuações chamaram a atenção de equipes dos Estados Unidos, mas Figueroa foi contratado pelo Wigan em 2008.

O jogador, de 30 anos, ganhou aos poucos espaço dentro do Wigan com várias boas atuações que o transformaram em titular da equipe. Um gol marcado pelo hondurenho em 2010 do próprio campo contra o Stoke City foi considerado um dos mais bonitos da temporada.

Figueroa é um jogador experiente que conta com mais de 100 partidas pela seleção de Honduras e que está muito perto de participar de sua segunda Copa do Mundo consecutiva. Ele foi confirmado na equipe na convocação feita na segunda-feira pelo técnico Luis Fernando Suárez.

Para seu país superar pela primeira vez a fase de grupos de um Mundial, será fundamental que Figueroa consiga recuperar o nível de suas melhores atuações no Campeonato Inglês.

Honduras vai estrear na Copa do Mundo contra a França, em 16 de junho, e depois enfrentará Equador e Suíça, nos dias 20 e 25 de junho, respectivamente, pelo Grupo E.

(Reportagem de Michael Kahn)