Na Espanha, Diego Costa pode dar trabalho ao Brasil

quinta-feira, 8 de maio de 2014 13:13 BRT
 

Por Iain Rogers

MADRI, 8 Mai (Reuters) - Uma final entre o anfitrião Brasil e a Espanha não é um cenário improvável na Copa do Mundo, e Diego Costa pode ter um papel de destaque no embate de seu país adotivo com sua terra natal em 13 de julho.

O atacante nascido no Brasil pisou no calo de seus compatriotas quando aceitou, no ano passado, o convite para atuar pela Espanha, seleção campeã mundial e europeia.

O jogador de 25 anos, que começou a carreira em Portugal e se uniu ao Atlético de Madri ainda na adolescência em 2007, tornou-se um dos artilheiros mais prolíficos do esporte nas duas últimas temporadas, e será um reforço para uma seleção espanhola que jogou muitas vezes sem um atacante central tradicional.

Demorou algum tempo para Diego desabrochar, em parte por causa das lesões, e ele teve passagens nada marcantes por times espanhóis como Celta Vigo e Rayo Vallecano.

Alto, atlético e ótimo em jogadas aéreas, ele tem toque de bola e visão de jogo excelentes e dá trabalho aos zagueiros adversários, que têm dificuldades de lidar com o estilo vigoroso de Diego Costa, às vezes no limite do fair play.

O sucesso do Atlético de Madri nas duas últimas temporadas se deve em grande medida aos gols de Diego Costa, que preencheu o vazio deixado pela saída do atacante colombiano Radamel Falcao rumo ao Mônaco.

Ele teve vários desentendimentos com alguns de seus novos colegas de seleção, entre eles o zagueiro central Sérgio Ramos, o que levou a insinuações de que pode haver atritos dentro da Espanha por conta de sua escalação.

O técnico Vicente Del Bosque descartou esse rumores de imediato, e o clima era de harmonia quando Diego Costa estreou no amistoso em que a Espanha bateu a Itália por 1 x 0 em março.   Continuação...