A um mês da abertura da Copa, Valcke reconhece pressão para tudo ficar pronto

segunda-feira, 12 de maio de 2014 13:31 BRT
 

12 Mai (Reuters) - O secretário-geral da Fifa, Jérôme Valcke, afirmou nesta segunda-feira, a um mês do início da Copa do Mundo, que existe uma pressão para garantir que as obras para o Mundial que já deveriam estar prontas sejam finalmente concluídas.

"Existe a pressão para garantir que tudo esteja perfeitamente pronto", disse Valcke em entrevista ao site da Fifa para marcar o início da contagem regressiva de um mês para o Mundial, que será disputado de 12 de junho a 13 de julho no Brasil.

"Quando você sente que a competição está chegando, vem o entusiasmo. Enquanto isso, é importante testar tudo para ter certeza de que funciona", acrescentou.

O cronograma inicial da Fifa estabelecia que todos os 12 estádios da Copa deveriam ficar prontos em dezembro de 2013, de forma a serem completamente testados em todos as áreas a tempo para o Mundial.

No entanto, as seis arenas que não foram utilizadas na Copa das Confederações de 2013 não cumpriram o prazo e três delas --em São Paulo, Curitiba e Cuiabá-- ainda estão incompletas a poucas semanas para o início do Mundial.

A Arena Corinthians, que vai receber o jogo de abertura da Copa entre Brasil e Croácia, receberá seu primeiro evento-teste oficial somente no fim de semana, três dias antes de ser entregue para o controle da Fifa.

"Ainda temos trabalho a fazer fora do estádio e nas redondezas. É importante trabalhar com as cidades e os Estados, porque são eles os responsáveis por essas áreas", afirmou Valcke.

Na semana passada, o secretário-geral fez um alerta aos torcedores que são eles que vão sofrer mais no Brasil devido aos problemas no país, em especial para se locomover e encontrar acomodação.

Valcke amenizou o discurso nesta segunda, afirmando que os fãs podem esperar "um grande torneio" no Brasil. Mas voltou a aconselhar que organizem bem sua viagem devido aos desafios logísticos no país e que tomem cuidado com áreas violentas.

(Por Pedro Fonseca, no Rio de Janeiro)